A linha 2018 dos caminhões rodoviários da DAF XF105 e CF85 traz uma tecnologia que tem três importantes funções: reduzir emissões de poluentes, baixar a conta do posto de combustível e garantir maior durabilidade ao motor. 

Trata-se do desligamento automático do motor, item de série na linha 2018 do XF105 e CF85 rodoviários. O novo software, introduzido na central eletrônica dos motores Paccar no Brasil, faz o controle do desligamento automático do motor para evitar o seu funcionamento em marcha lenta de forma desnecessária. E isso pode proporcionar uma economia gigantesca de diesel em uma frota. Vamos entender porque, como funciona e os benefícios.

Primeiramente, o sistema identifica que o caminhão está com o freio de estacionamento acionado, motor em marcha lenta e sem nenhuma outra função sendo utilizada, como uma tomada de força, por exemplo. Com quatro minutos nessa situação, é emitido um sinal pelo painel para avisar ao motorista dentro de mais um minuto o motor será desligado. Se o condutor não fizer nenhuma intervenção, como um toque no acelerador ou desacionar o freio de estacionamento, por exemplo, em 10 segundos outro sinal é emitido e, permanecendo a situação de marcha lenta, o motor é desligado ao completar cinco minutos de funcionamento sem nenhuma ação por parte do motorista.

Segundo Antenor Fresson, diretor de vendas da DAF, a ideia de introduzir a função na linha 2018 veio da percepção que muitos frotistas pediam essa função às empresas fornecedoras de serviços de telemetria. “Então pensamos, porque não oferecer isso de fábrica, que é mais seguro e mais completo?”, questionou.

Com a função de fábrica, por exemplo, o software reconhece se a tomada de força está sendo usada e, neste caso, o motor é mantido ligado. Por diversas razões, o motorista pode esquecer o motor ligado, não raro, por 30 minutos por dia ou deixá-lo ligado por até quatro horas em pernoite por causa do ar-condicionado em vez de usar o climatizador.

Um motor de 460 cv, por exemplo, consume cerca de 1,6 litro de diesel por hora de funcionamento em marcha lenta. Na situação hipotética de 30 minutos em marcha lenta por dia pode gerar um consumo extra de 422 litros por ano, um desperdífico desnecessário.

Na situação de quatro horas, são 1.689 litros de diesel por ano consumidos em marcha lenta. Assim, considerando o preço médio de R$ 3,29 do litro do combustível, estamos gerando uma economia anual entre R$ 1.388 e R$ 5.556,81 por caminhão.
Imagina o benefício em uma frota de 100 caminhões? Isso, além da economia com Arla 32, manutenção, consumo de óleo de motor e redução de emissões de poluentes.

Antenor Fresson lembra o uso da marcha lenta em demasia pode acarretar problemas futuros, como a redução da vida útil de componentes, principalmente na parte alta do motor. Isso ocorre devido a falhas comum de lubrificação em marcha lenta, o que causa superaquecimento. O executivo explica que o cliente pode solicitar para desligar essa função devido o tipo de operação.

Vale destacar que a DAF é a terceira montadora a oferece a solução de desligamento automático do motor.

Motores MAN D-08

A MAN Latin America, desde o lançamento dos caminhões e ônibus equipados com o motor Euro 5 MAN D-08 (em janeiro de 2012), possibilita incluir a programação de desligamento por período de inatividade que pode ser programado em segundos, ou seja, dependendo da condição de operação e perfil do cliente, ele opta pelo tempo de inatividade que melhor se adequar à sua empresa, informa Paulo Kramer, consultor de pós-vendas do departamento de atendimento a frotistas. 

Para que este desligamento automático ocorra, é necessário atender a todos os parâmetros abaixo simultaneamente.

  • Carro com velocidade = a zero km/h.
  • Motor em marcha lenta
  • Pedal do acelerador em posição de repouso
  • Pedal da embreagem em posição de repouso
  • Pedal do freio em posição de repouso
  • Freio de estacionamento aplicado
  • Caixa de câmbio em Neutro
  • Temperatura do líquido de arrefecimento no mínimo a 60 graus.

A qualquer intervenção do motorista em algum pedal, a contagem do tempo recomeça do zero.

Kramer destaca que o tempo de desligamento é programado em segundos, pois cada operação possui uma característica e não deve ser pré-determinado pela montadora, mas sim pelo cliente, afinal um motor na faixa de 250 cv consome em marcha lenta, 1 litro de diesel por hora.

Mercedes-Benz

Segundos antes do motor se desligado, motorista recebe mensagem no painel e desligamento pode adiado ao tocar no acelerado ou freio. Foto Divulgação

A Mercedes-Benz lançou tecnologia similar em agosto de 2017 para ônibus. Segundo Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing ônibus Mercedes-Benz, a demanda veio exatamente por causa do hábito de motoristas deixarem o motor do ônibus ligado em ponto final e garagens.

 

 

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).