Depois da Suécia, agora é a vez da Califórnia, nos Estados Unidos, ser palco de demonstração da estrada eletrificada desenvolvido pela Siemens e parceiros. O sistema de rede é similar aos trólebus que rodam em São Paulo desde 1949, mas com algumas diferenças significativas para a logística do transporte de cargas. No Brasil, os ônibus elétricos rodam somente sob a rede de cabos. Eles são 100% elétricos e não podem rodar fora dos trechos que possuem a rede de catenária.

No projeto que nasceu na Suécia em 2016, iniciativa do governo da Região de Gävlebord e em parceria com a Scania, é para caminhões híbridos.

O caminhão híbrido é movido pelo motor elétrico nos trechos eletrificados e pelo motor a combustão (que pode ser a biogás, energia com emissão quase zero de CO²). O projeto está em demonstração e carece de comprador. O governo da Alemanha é um dos países que demonstrou interesse e começará a fazer testes em estradas alemãs a partir de 2019. Agora, a expectativa é que cresça o interesse nos Estados Unidos. 

Denominado de eHighway (rodovia eletrificada), o trecho de demonstração foi instalado em um percurso de 1,6 km na cidade de Carson, na Califórnia.

Transporte vai dobrar

“Este projeto nos ajudará a avaliar a viabilidade de um sistema de movimentação de carga de emissão zero usando cabos em catenária”, disse Wayne Nastri, diretor executivo da SCAQMD (South Coast Air Quality Management District). A SCAQMD é a parceira da Siemens nos EUA. “Esta demonstração pode levar à implementação de sistemas de eHighway com benefícios para a saúde pública das pessoas que moram perto dos portos”.

“Todos os dias, as pessoas dependem dos produtos e serviços transportados por caminhões. Esse meio de transporte deve dobrar as emissões de CO² no mundo até 2050”, disse Roland Edel, diretor da divisão de mobilidade da Siemens. “A nossa tecnologia eHighway tem a capacidade de dupla eficiência em comparação aos caminhões a diesel, reduz o consumo de energia e a poluição atmosférica local.”

Teste na Alemanha começa em 2019

Por outro lado, os fabricantes de caminhões estão testando diversas outras alternativas de mobilidade mais limpa. A que mais vem crescendo mundo afora é o uso do gás natural liquefeito, gás metano ou biogás. Em transporte, a tecnologia a ser escolhida precisa ser, além de limpa, economicamente viável.

Mack Trucks

No projeto americano estão envolvidos três caminhões. Um caminhão elétrico movido a bateria, um caminhão elétrico a gás natural e um caminhão híbrido a diesel. O objetivo deste projeto específico é mostrar como funciona o sistema eHighway na operação de caminhões em vias públicas nos Estados Unidos e elaborar mais aplicações para iniciativas de maior escala no futuro.

O sistema de demonstração possui uma linha de contato aérea que fornece energia elétrica para os caminhões ao longo da via. Um pantógrafo ativo pode se conectar e se desconectar automaticamente da linha usando um sistema de sensor. Assim os caminhões se movem com a mesma flexibilidade que os caminhões a diesel convencionais, permitindo que mudem de faixa ou passem outros veículos. 

Se na Suécia o projeto teve a Scania como parceira no desenvolvimento dos caminhões, nos Estados Unidos, os caminhões elétricos e híbridos a gás natural foram desenvolvidos pela TransPower, localizada em Escondido, e o híbrido a diesel foi desenvolvido Mack Trucks, fabricante do Grupo Volvo.

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).