Estimativas de mercado apontam que grande parte das embarcadoras e transportadoras de frete ainda não utilizam meios de pagamento eletrônicos, dependendo ainda da carta frete tradicional ou cheques, em desencontro com a regulamentação atual da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).
 

Para explorar esse mercado que movimenta cerca de R$ 100 bilhões por ano no Brasil, a Raízen, empresa licenciada pela Shell no Brasil, e a WEX, que fornece soluções de pagamentos corporativos há 30 anos, fecharam parceria para que a rede de postos Raízen aceitem o cartão WEX Frete para o pagamento eletrônico.

A parceria foi lançada na Convenção de Vendas da Raízen, que ocorreu entre os dias 10 e 13 de abril. Do lado da WEX, a empresa quer provocar uma redução de custos diretos de transporte rodoviário de cargas. A Raízen, por sua vez, quer ampliar o volume de vendas de combustível em sua rede.

A parceria entre Raízen e WEX quer atingir os diversos agentes de transporte envolvidos, de motoristas à empresas. Confira abaixo as principais vantagens para transportadoras e embarcadores:

Para o CEO da WEX na América Latina, José Roberto Kracochansky, o Brasil é um dos maiores mercados com potencial de migração dos meios de pagamentos tradicionais para o eletrônico e, no caso de pagamentos de frete, essa migração ainda está em um estágio muito inicial. “Desde a sua regulamentação, o pagamento eletrônico de frete teve uma adoção muito lenta, pois ainda não havia sido encontrado o equilíbrio na relação comercial entre caminhoneiros, transportadores e postos de combustíveis. Acreditamos que, com esta parceria, atinjamos exatamente esse objetivo”.   

Para Andreas Lips, gerente de Rodovias e Diesel da Raízen, a parceria representa uma forte vantagem competitiva, além de uma excelente oportunidade de melhoria no controle de pagamento e relacionamento entre caminhoneiro e a rotina de parada no posto. “Com essa novidade, esperamos proporcionar maior rentabilidade aos nossos revendedores da marca Shell, mais controle sobre as vendas e maior volume. O objetivo é trazer também agilidade, redução de custos e ainda mais segurança para o caminhoneiro na hora de abastecer”, completa Andreas.

Mercado promissor

Estimativas de mercado apontam que grande parte das embarcadoras e transportadoras de frete ainda não utilizam meios de pagamento eletrônicos, dependendo ainda da carta-frete tradicional ou cheques, em desencontro com a regulamentação atual da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

E ainda, outros mercados mais maduros possuem números crescentes de aumento no uso de cartões como meios de pagamento destes serviços, como nos EUA, onde aproximadamente 90% da operação é conduzida desta forma. Isto gera um controle muito mais efetivo e prático no gerenciamento dos processos financeiros destas empresas.