Recuperação do frete defasado e lançamento de uma ferramenta para cálculo de frete foram os temas centrais da “Conferência Setcesp: Tarifas de Frete” promovida pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo e Região recentemente (22/02).

Engenheiro Lauro Valvídia. Foto: Divulgação/Setcesp

Segundo o engenheiro e assessor técnico da NTC&Logística, Lauro Valdívia, a defasagem média do frete está em 16,95% para carga fracionada e 20,60% para carga lotação. A boa notícia, segundo e engenheiro, é que o último semestre de 2017 começou a dar sinais de melhoras. “Acredito que este ano os transportadores conseguirão repor parte do prejuízo desses últimos anos de crise. Economistas conceituados estão projetando um PIB muito bom de até 3%. Agora os empresários precisam entender a importância do cálculo dos componentes tarifários e ir para o mercado sem medo”, diz.

Ferramenta

Marcelo Rodrigues, coordenador do Comjovem de Desenvolvimento Mercadológico. Foto: Divulgação

Marcelo Rodrigues, coordenador do Instituto Comjovem de Desenvolvimento Mercadológico apresentou a “Ferramenta para Cálculo de Frete” desenvolvido pelo instituto e que pode ser baixada pelo site https://www.comjovemnacional.com.br/copia-project-6-1. “O objetivo do Instituto é proporcionar ferramentas para que os empresários do Brasil inteiro possam ir para o mercado com um discurso alinhado para defender condições justas para o preço do frete”, explica Marcelo.

Tayguara Helou, presidente do Setcesp

“Eu defendo que em 2018 o foco do setor tem que ser na rentabilidade e o transportador associado ao Setcesp tem que ser, daqui para frente, empresário mais rentável porque é somente através do lucro que as empresas conseguem investir em suas estruturas e em seus colaboradores. Este é o momento ideal para praticarmos tarifas justas. “, ressaltou Tayguara Helou, presidente do Setcesp.

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).