Hyundai HD 80 pode levar até 4.463 kg de carga útil

A Hyundai apresenta o seu novo caminhão HD 80 para o segmento de 8 t de PBT (Peso Bruto Total). Ele é uma evolução do HD 78 lançado no final de 2010 e produzido até o final de 2011, ano em que entrou em vigor a fase P7 do Proconve (equivalente a Euro 5) e a produção do HD 78 foi interrompida por ser tecnologia P5 (Euro 3). Entre 2012 e 2017 a empresa trabalhou com estoques. Ela adiou o lançamento do HD 80 para este ano por causa da crise que a economia brasileira passou nesses últimos quatro anos.

Agora o HD 80 foi lançado pelo preço de R$ 118.800 e este é seu ponto mais forte em relação aos concorrentes, que custam a partir de 133 mil (Ford Cargo 816) e chegam a R$ 146 mil (Mercedes-Benz Accelo 815).

Conheça as principais características do HD 80:

Motor

Ele é equipado com o motor diesel com turbo alimentação de duplo estágio e intercooler. Trata-se do FPT F1C 3.0 de 170 cv a 3.500 rpm. O torque é de 40,8 mkgf de 1.500 rpm a 2.200 rpm graças aos dois turbos. O sistema de injeção de combustível é “common rail” fornecido pela Bosch. A tecnologia de pós-tratamentos de gases para atender a legislação ambiental é a EGR, que faz a recirculação dos gases. Ela não precisa de usar o Arla 32 como nos motores com sistema SCR.

O motor F1C é o mesmo utilizado no Iveco Daily 70C17, o que é um ponto positivo para o modelo. Quanto maior for a frota que utiliza o mesmo motor, mais barato pode ficar a manutenção e o fornecimento de peças devido a maior escala de produção e demanda.

Assim, com exceção do Daily, por utilizar o mesmo motor, o HD 80 é o único do seu segmento que dispensa o uso do Arla 32. Os demais utilizam a tecnologia SCR e precisam do líquido em um tanque extra.

Transmissão

A caixa de marchas é de 5 velocidades, seguindo o padrão do segmento. Rodamos na pista de teste da fábrica em Anápolis (GO) com o HD 80 vazio e carregado com 5 toneladas, portanto, com quase o seu PBT.

O modelo chega sem dificuldade aos 80 km/h com o giro do motor abaixo das 2.500 rpm. Por se tratar de um caminhão de uso urbano, o diferencial traseiro conta com nova relação entre pinhão e cremalheira (6,50:1), mais curta para priorizar o desempenho dentro da cidade.

Os engates das marchas são precisos e sem grandes esforços graças ao sistema de embreagem servo-assistido. 

O consumo varia entre 5,3 km/l (carregado) e 6,8 km/l (vazio). Este é um dado que depende de outras características de uso, seja em função da topografia e altitude da cidade, trânsito, comportamento do motorista etc.   

Capacidade de carga

HD 80 atende as exigências do VUC

O HD 80 foi homologado para 8.000 kg de PBT. Como o caminhão tem o peso em ordem de marcha de 2.735 kg (o mais leve dessa categoria, sendo apenas mais pesado do que o Daily 70C17), ele tem a capacidade de carga de 5.263 kg. Se considerarmos um implemento (baú, carroceria de carga seca etc.) na faixa dos 800 kg, sobram 4.463 kg para a carga, o que chamamos de carga útil.

Vale esclarecer que o Daily 70C17 pode ser considerado concorrente em termos de preço (custa R$ 142.769, de acordo com tabela Fipe), porém leva 1 tonelada a menos de carga.

O HD 80 é oferecido em uma versão de entre-eixos: 3.735 mm, com comprimento máximo de 6.515 mm, medida que atende a legislação de restrições para VUC (Veículo Urbano de Carga) em São Paulo. Para isso, a carroceria deve ter, no máximo, 4.755 mm de comprimento. Outras variações de comprimento ou entre-eixos são possíveis por meio de empresas especializadas em modificações.

Cabine

A cabine é a mesma do HD 78. Ela ganhou uma nova grade, a cobertura em plástico dos parafusos que antes eram aparentes na parte frontal e uma faixa adesiva lateral com a identificação do modelo.

Internamente, a cabine comporta três pessoas, incluindo o motorista, mas há poucos espaços para objetos. Apesar de ela ser uma das menores do segmento, o motorista e passageiros (até 1,90 m de altura) viagem com relativo espaço. O volante conta com regulagem de inclinação.

Painel é completo e conta com rádio e tacógrafo digital

O painel de instrumentos foi modernizado. Ganhou conta-giros (é verdade, o HD 78 não tinha) e computador de bordo com as funções pressão do sistema de freios pneumático, consumo de combustível médio e instantâneo, autonomia, velocidade média, tempo de rodagem, hodômetro parcial e total e relógio.

A área envidraça oferece boa visibilidade e o acesso ao interior da cabine é fácil. As portas abrem em um ângulo de 45º e o motorista e passageiros acessam o interior da cabine por meio de degraus com boa largura. A cabine é fixada ao chassi por coxins de borracha.

Segundo Uilson Campana, diretor de vendas de veículos comerciais da Caoa Hyundai, em breve será lançado um catálogo com os seguintes opcionais: ar-condicionado, vidros e trava das portas com acionamento elétrico.  

Roda, freios e suspensão

O HD 80 conta com sistema de freios pneumático (antes era hidráulico) e sistema ABS. A suspensão é com feixe de mola trapezoidal com barra estabilizadora em ambos eixos. As rodas seguem o padrão da categoria de 8 t: 17,5” x 6” montados com pneus Pirelli 215/75 R17,5.

Fabricação, rede e garantia

O HD 80 é produzido na montadora Caoa Hyundai em Anápolis (GO) com índice de nacional de 65%, o que permite o seu financiamento pelo Finame. As chapas da cabine, longarinas do chassi, caixa de marchas, painel de instrumentos, sistema elétricos, entre outros, são importados da matriz, na Coreia do Sul.

Os principais componentes fornecidos por fabricantes no Brasil são: motor, gerenciamento de sistema, arrefecimento, escapamento, sistema de combustível, eixos, cardãs, feixe de molas, sistema de freios, rodas, cubos, pneus, entre outros.

Por enquanto o HD 80 é comercializado em 21 concessionárias da rede Caoa Hyundai e a garantia é de 1 ano sem limite de quilometragem e conta com assistência 24h. O objetivo da marca é vender 600 unidades este ano e 900/ano a partir de 2019.

Uma análise mais completa deste modelo diante seus concorrentes será publicada na edição 171 da revista TRANSPORTE MUNDIAL. Na edição 171, que estará nas bancas a partir da segunda quinzena de março, apresentaremos, além da análise do Hyundai HD 80, uma avaliação do concorrente Ford Cargo 816 diante de dois outros concorrentes: VW 8.160 Delivery e Mercedes-Benz Accelo 815.

 

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).