O transporte executivo de passageiros com rapidez, segurança e conforto é o que deseja qualquer empreendedor deste segmento. Por isso, a TRANSPORTE MUNDIAL avaliou um dos modelos mais vendidos do segmento. Trata-se da van Mercedes-Benz Sprinter 415. Dentro as opções à venda no Brasil, ela é a mais completa para atender essas exigências, principalmente, no quesito segurança.

A avaliação foi feita em uma viagem de pouco mais de 900 km. A versão foi uma 415 9+1 (nove passageiros mais o motorista). A família de vans da Mercedes-Benz conta ainda com as configurações 415 15+1 (mais indicada para o transporte escolar ou distâncias curtas). Ainda há o modelo 515 (com rodado duplo) nas opções 17+1 e 20+1. Nessas possibilidades, também há as opções de teto baixo ou alto. Se a ideia é fazer curtas viagens em estradas pedagiadas, vale lembrar que o modelo 415 paga pedágio como automóvel. O modelo 515 paga o dobro do valor do pedágio por causa do rodado duplo no eixo traseiro.

Segurança exclusiva

No mercado brasileiro, o Sprinter 415 conta apenas com dois concorrentes: o Renault Master Minibus e o Daily Minibus 45S17, ambos com 16 lugares, 15 para passageiros mais o posto do motorista. Eles podem ser comparados em termos de desempenho, conforto, espaço interno e rede de concessionárias. Já no quesito segurança, não dá para comparar. Os modelos da Renault e Iveco possuem apenas os itens necessários para atender a legislação de segurança, como ABS e airbag duplo. Já o Sprinter supera e até traz a inédita tecnologia Crosswind Assist (assistente de vento lateral), já presente no irmão menos, a van Vito. 

Ilustração da atuação do sistema Crosswind

Esta função auxilia na manutenção do veículo em sua trajetória quando a carroceira recebe fortes ventos laterais. Por meio de sensores do ESP (controle eletrônico de estabilidade), o sistema é ativado a partir da velocidade de 80 km/h sem necessidade de qualquer ação do motorista. As correções de trajetórias são realizadas automaticamente por meio do acionamento unilateral dos freios, evitando que rajadas de vento possam tirar a van de sua trajetória. 

Tecnologias contra tombamento

Outra tecnologia de segurança já presente em muitos automóveis, também faz parte somente da Sprinter em seu segmento. Trata-se dos faróis de milhas com assistente direcional que, automaticamente, são acionados unilateralmente, melhorando a luminosidade em curvas para o lado que o volante estiver virado. A Sprinter também já sai de fábrica com as luzes diurnas que são acionadas automaticamente ao motor ser ligado, porém, um pouco fracas, sendo aconselhável o uso dos faróis baixos acesos na estrada.

Outro pacote de tecnologia de segurança ausente na concorrência na concorrência é o programa eletrônico de estabilidade ESP Adaptativo 9i® com integração dos sistemas ABS, ASR, BAS e EBS, freios a disco em todas as rodas e discos frontais autoventilados. Veja o significado dessa sopa de letrinhas:

O ABS (Anti-Lock Braking System), ou sistema antitravamento de frenagem, evita o bloqueio das rodas, mesmo em frenagens bruscas, enquanto o ASR (Anti Slip Regulation), ou sistema de controle de tração, evita que as rodas patinem em piso de baixa aderência. Já o BAS (Brake Assist System), ou sistema de assistência de frenagem, reconhece a velocidade de acionamento do freio e, em caso de emergência, reduz a distância de frenagem, independentemente da ação do motorista sobre o pedal de freio. O EBV (Eletronic Brake-Power Distribution), ou distribuição eletrônica da força de frenagem, reconhece o efeito no centro de gravidade do conjunto veículo e carga, ajustando a força de frenagem sobre as rodas de acordo com esse efeito.

Conforto

A versão de 9+1 se destaca pelas poltronas reclináveis, com espumas de maior densidade e mais largas que os modelos de 15+1. Além, o espaço de circulação em seu interior é bastante amplo principalmente graças ao teto alto.

Controle do ar-condicionado central. Eficiente, mas sua posição ao lado esquerdo prejudicada a visibilidade do retrovisor à noite.

A versão avaliada estava equipada com ar-condicionado de série, bastante eficiente e deu conta de manter o interior resfriado sob o Sol de 40º do Rio de Janeiro. Apesar de ser um item de série, percebe-se que ele é uma adaptação. Os seus comandos não fazem parte e nem está em harmonia com o painel de comandos. Ele conta com um painel próprio de comando que fica entre o quadro de instrumentos e a coluna do lado direito. Na condução noturna, o painel de comando do ar-condicionado reflete no retrovisor do lado do motorista, atrapalhando a visibilidade. A engenharia da Mercedes-Benz precisa arrumar um outro lugar para os comandos do ar-condicionado.

Rádio com entradas SDCard, USB, Auxiliar e conexão Bluetooth é de série

Para o entretenimento e informações a bordo, um sistema multimídia com tela sensível ao toque seria bem-vindo, mas só as versões europeias contam com este luxo. Aqui, se o condutor quiser utiliza aplicativos tipo Waze ou Google Maps, terá que usar o próprio celular. De fábrica, a Sprinter 415 vem com o básico, um rádio toca CD com entrada USB, SDCard e conexão Bluetooth. Outros itens básicos também estão presentes, como travamento elétrico para portas e acionamento elétrico dos vidros dianteiros.

Piloto automático

Para o conforto do condutor, a 415 estava equipada com os opcionais volante com teclas multifunções e piloto automático e limitador de velocidade. São equipamentos que, além de tornarem a viagem mais agradável, aumenta a segurança pois muitas das funções do rádio podem ser feitas sem tirar as mãos do volante. O piloto automático ajuda a descansar o pé do acelerador, a evitar multa por distração e também na economia de diesel, pois manter o veículo em uma velocidade constante gera menos consumo do que a inevitável variação da pressão do pé sobre o acelerador.

As suspensões, tanto dianteira quanto traseira, utilizam molas parabólicas e amortecedores hidráulicos de duplo efeito. Em ambos eixos há barra estabilizadora com características bastante similar às vans deste segmento. A tração é traseira, melhor do que na Renault Master (dianteira) e igual a da Iveco Daily, também traseira.  

Desempenho e consumo

Para o transporte de 10 pessoas, o motor diesel de 4 cilindros em linha (2,2 litros) MB OM 651 CDI biturbo com 145 cv e 33,6 mkgf de torque sobra. O melhor aproveitamento do motor ocorre entre as rotações de 1.200 e 2.400. Aliás, a maior parte da viagem foi em torno das 2.000 rpm, o que gerou a excelente média de consumo 11,5 km/l com 90% do uso em estrada (Rodovia Presidente Dutra/Arco Metropolitana/BR 040). E pelas características do motor, o sistema de pós-tratamento de gases é o EGR, dispensando o uso de Arla 32. O câmbio manual ZF de 6 marchas de engates muito fáceis, principalmente pela localização da alavanca no painel. Mas seria muito bem-vindo um câmbio automático ou automatizado, principalmente, se o maior uso for no trânsito urbano.

Desvalorização

Segundo a pesquisa da Fipe, a versão zero km da van Sprinter 415 tem sido comercializada por R$ 160.697. Já um modelo 2016, tem saído por R$ 132.844, portanto, uma desvalorização de 17,3%.

Além da Sprinter ser bem superior que a Renault Master, ela desvaloriza menos. A Renault, em seu site, pede R$ 183.500. Mas segundo a Fipe, a preço médio praticado no mercado é de R$ 144.234. A Renault Master 2016 sai por R$ 107.895, portanto, apresenta desvalorização de R$ 25,2%.

No caso do concorrente Iveco Daily, o modelo 45S17 zero km sai por R$ 155.500. O modelo 2016 está cotado em R$ 109.319, e apresenta a maior desvalorização (29,7%) entre as três opções de vans do porte da 415.

Veja aqui a Série 20 anos da Sprinter

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).