Puxado pelo segmento de caminhões pesados (leia-se cavalos mecânicos), o mercado de caminhões cresceu 2,7% em 2017. O percentual pode ser baixo, mas depois de seguidos anos de queda, foi uma notícia bastante comemorada. A perspectiva para este é ano é que o crescimento seja em torno de 25% Agora, vamos fazer uma análise objetiva das marcas para 2018.

A Mercedes-Benz liderou em 2017 mas com queda de 1,9% em comparação a 2016. Enquanto isso, a MAN Latin America cresceu 3,9% e sinaliza tendência de crescimento, principalmente no segmento de semileves e leves devido ao lançamento dos novos modelos da linha Delivery. Em 2018 haverá uma disputa bastante acirrada entre essas duas marcas alemã.

A terceira colocada é a Ford Caminhões, também com crescimento 0,7%. A tendência para este ano é que a Ford continue apostandos suas fichas nos segmentos que tem maior força, como nos leves, médios e semipesados. Se os investimentos em infraestrutura realmente forem realizados, a marca tem muito potencial para crescer com os seus modelos vocacionais para construção civil. O novo modelo deverá ser lançado este ano para reforça mais ainda a presença da marca entre os modelos semipesados.

A Volvo é a quarta colocada. Mas para ser justo, vemos avaliar o desempenho da sueca considerando apenas os segmentos de pesados e semipesados, já que ela não atua nos demais. Assim, a Volvo é a líder entre os pesados; quinta entre os semipesados e terceria colocada na soma dos dois segmentos (5.953 unidades). A Volvo perdeu muito espaço no mercado de semipesados e, provalvemente, vai querer recuperar mercado com a família VM. Porém, marcas como Volkswagen, Mercedes-Benz são bastante atuantes nessa categoria, tornando a concorrência bastante acirrada.

A Scania ficou em quinto lugar no geral, mas com expressivo crescimento de 35,5%, resultado do sucesso da marca no segmento de pesados (terceira maior) e também de semipesados (quarta maior). Ainda não há uma data certa, mas a próxima grande mexida da Scania deverá ser a introdução das novas cabines já lançada na Europa. Assim como ocorre no Velho Continente, o lançamento deverá ser feito aos poucos, por família de modelos. A nova fábrica de cabines na unidade industrial de São Bernardo do Campo (SP) está praticamente pronta.

 A Iveco, sexta colocada, amarca uma queda de 25,2%, mas se recupera nos pesados e deverá crescer este ano nos semipesados. Para o final do ano, chegam novas versões do Tector leve e médio. A DAF, como anos anterior, seguirá crescendo, mais ainda com o lançamento da linha off-road.

 

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).