A New Holland, empresa da CNH Industrial, apresentou um trator-conceito movido a biometano que promete até 30% de redução nos custos de operação em relação a versão a diesel, e que pode chegar ao mercado mundial em três anos.

Em turnê pelo mundo, onde as empresas do Grupo CNH Industrial já apresentam diversas soluções em combustíveis alternativos, o trator, que foi construído tendo como o modelo T6 como base, quer fornecer ao produtor rural, utilizando restos de matéria-prima orgânica animal e vegetal, saneamento e até cerveja na produção do biometano, a autossuficiência energética para a frota do futuro. 

Mas o que tem a ver os tratores com transporte? Bem, com o avanço e a projeção da massificação do emprego de combustíveis limpos, não deve demorar até que novos testes possam beneficiar os caminhões da Iveco.

Diesel x Biometano

A diferença entre motor movido a diesel e biometano já começa no hardware. “Bloco e pistões têm arquitetura diferenciada, bem como a parte de cima do motor, com a parte de injeção diferenciada. Ela gera uma explosão diferente da versão a diesel, e é por isso que os motores adaptados para rodar a gás não entregam 100% da performance esperada, pois não são projetados, desde o início, para esse tipo de função”, explica Nilson Righi, gerente de produto da CNH Industrial.

A manutenção de motores a diesel e biometano obedece os mesmos ritos, seja na troca de filtro, óleo e outros itens. A versão a gás produz ao menos 10% menos CO2 e até 80% menos dos demais poluentes na atmosfera em relação ao diesel.

Outra informação importante é que potência e torque são exatamente as mesmas das versões diesel e biometano. 

Caminhões a biometano

Righi também afirmou que a tecnologia de gás biometano, que conta com regulamentação específica na ANP (Agência Nacional de Petróleo), poderia, em caso de demanda, ser replicada em caminhões. “O motor está pronto. Então onde nós vamos colocar o motor é uma decisão das empresas (a FPT, fabricante de motores do grupo CNH Industrial, é responsável pelo desenvolvimento e produção de motores para todas as marcas do conglomerado: New Holland, Case e Iveco).”

 

Desafios

Para o teste no Brasil, o trator com motor a biometano foi levado à chácara Marujo, em Castro (PR), onde a TRANSPORTE MUNDIAL conferiu uma unidade biodigestora (utilizada para transformar o material orgânico em gás) e o cilindro para o refino do combustível.

Para se trabalhar com o biometano, infraestrutura e investimentos são necessários, o que pode tornar-se em um custo proibitivo para os pequenos produtores. Gabriel Kropsch, vice-presidente da ABiogás (Associação Brasileira de Biogás e Biometano), explica que hoje há diversas opções para a utilização do biometano, que pelo seu baixo custo, sempre é viável para os produtores. “Há empresas associadas que fornecem desde o investimento e prestam o serviço ao produtor (espécie de aluguel), e outras alternativas, dependendo da escala e tipo de produção.