O rodoviário Mercedes-Benz O 500 R SDD é um modelo configurado 8×2 que pode receber carroceria double decker (dois pisos com assentos para passageiros) e high decker (piso superior com os assentos e piso inferior exclusivo para bagagens). Trata-se de um chassi que se consolidou no mercado atendendo aplicações como o turismo de luxo e transporte de média a longa distâncias rodoviárias.

Agora, graças à lei n° 13.281/16, que permite a produção de chassi com 15 m de comprimento nessa configuração 8×2, o R SDD 2741 8×2 ganha mais poltronas e possibilita uma operação mais producente ao cliente.

Isso porque antes da lei, esse tipo de chassi era limitado em 14 m comprimento. Agora, com 1 metro a mais, o 8×2 pode ser encarroçado com mais assentos, como 52 poltronas do tipo convencional no piso superior e 16 do tipo semileito no piso inferior. O que rende maior receita e equilibra as gratuidades de passagens previstas em lei, como uma vaga para criança, uma para jovens de baixa renda e mais duas com desconto de 50% na passagem, duas gratuidades para idosos e mais duas para portadores de necessidades especiais.

Quem explica o impacto que a gratuidade pode gerar na receita da empresa é Paula Correia, diretora comercial e de marketing do Grupo Águia Branca, com sede no Espírito Santos e frota de 750 ônibus. A empresa, que acaba de adquirir a Expresso Brasileiro e tem participação acionária na Azul Linhas Aéreas, possui oito unidades do R SDD de 14 m, e agora adquiriu 12 unidades da nova versão de 15 metros.

Paula explica que os modelos de 14 m atuam em operações com distâncias entre 500 km a 1.500 km. Já oito modelos das novas unidades serão destinados ao transporte de passageiros de São Paulo a Bahia. Eles vão rodar cerca de 1.500 km. As outras quatro unidades farão o transporte de alto padrão entre o sul e extremo sul da Bahia.

“Esses veículos vão atuar em linhas em que há grande volume de passageiros. Todos são Double Decker, sendo oito deles configurados com seis poltronas leito no piso inferior e 48 poltronas semileito no piso superior e os quatro restantes com todas as 64 poltronas semileito. Estes atenderão pessoas que fazem viagens de médias distâncias, muitas vezes em razão de trabalho, mas que querem conforto e condições de descansarem durante o percurso”, explica Paula, acrescentando que o investimento nos modelos 15 m, avaliados em torno de R$ 450 mil cada chassi, se justificam porque poderá dar retorno com relação às gratuidades que impactam, em média, 6% as operações da empresa.

Dependendo do tipo de poltrona escolhida, o chassi de 15 m pode receber de seis a 20 lugares embaixo e de 20 a 56 poltronas no piso superior.

O mercado

Mesmo com a chegada do chassi de 15 metros, a versão de 14 metros continua a ser produzida. Segundo Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus Mercedes-Benz, a expectativa é que com a chegada do chassi de 15 metros de comprimento haja um salto nas vendas. “Acredito que esses chassis que hoje representam 3% das vendas saltarão para 15%, já que o aumento de capacidade gira em torno de oito passageiros”.

O RSDD oferece a configuração Low Driver, o que permite o rebaixamento do posto do motorista quando esse for do tipo de carroceria escolhida, agilizando a montagem. O cockpit é composto por painel de instrumento renovado, novo computador de bordo, mais informativo e de fácil navegação, além de volante multifuncional para garantir ainda mais a atenção do condutor ao volante.

O chassi 8×2 tem segundo eixo direcional, motor MB OM 457 LA, com bloco de 12 litros e 6 cilindros em linha, capa de gerar potência de 408 cv a 2.000 rpm e torque de 194 mkgf a
1.100 rpm. Esse motor está combinado a uma transmissão automatizada de 8 marchas (GO 240), também produzida pela Mercedes-Benz. Essa caixa de marchas conta, ainda, com retarder hidrodinâmico integrado.

No quesito conforto, o modelo é equipado com suspensão pneumática integral, permitindo que ele fique constantemente nivelado em relação ao solo. Boa nova para o sistema de suspensão ECAS é que ele permite a elevação e o rebaixamento da carroceria, o que agiliza o embarque e desembarque de passageiros.

Com relação à segurança, esses rodoviários da Mercedes-Benz podem ser equipados com os opcionais TPMS (Sistema de Mo­nitoramento da Pressão e Temperatura dos Pneus) e LDWS (Sistema de Aviso de Faixa), para que o motorista não sai da faixa de relagem sem perceber.

Compartilhar
Andrea Ramos
Jornalista especializada em veículos comerciais, apaixonada por caminhões e punk rock, e mãe do B e do Ben.
  • Wendel Cerutti

    poderiam fazer testes com os k440 e b450r , inclusive com o preço .