Coincidentemente, Mercedes-Benz e Renault lançam planos completos de manutenção para veículos utilitários no mesmo mês. Conheça a particularidade do plano de cada empresa.

Em ambas marcas, os novos contratos de manutenção garantem custo fixo por km rodado para furgões, vans e chassi cabine. No caso Mercedes-Benz, os contratos estão disponíveis para todos os modelos da linha Sprinter e, na Renault, para todos os modelos da família Master.

Renault Master. Foto Divulgação

A vantagem para o frotista é que ele conhece desde o início qual será o custo de manutenção durante a vigência do contrato. Esta é uma das informações importantes para se conhecer o TCO (Total Custo de Operações) para se chegar ao valor do frete. Outras informações é consumo, custo do capital, desvalorização, pneus, mão de obra, administração do serviço etc.

O objetivo das fabricantes, além de fidelizar clientes, é garantir que frotistas possam comprar os comerciais leves sem se preocuparem com surpresa na hora da manutenção, pelo menos, no período do contrato que pode variar de 12 a 36 meses, no caso da Renault, e de 1 ano a 7 anos no caso da Mercedes-Benz. 

Mercedes-Benz Sprinter. Foto: Divulgação

Outra vantagem é que o custo do contrato de manutenção pode ser incluído no financiamento caso a opção da aquisição do serviço seja feita no momento da aquisição do utilitário.

Mercedes-Benz ServiceCare

O plano da Mercedes-Benz está inclusivo em um novo conceito de serviços de pós-venda chamado ServiceCare, já oferecido aos clientes europeus. Segundo Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing vans Mercedes-Benz, o ServiceCare inclui diversos serviços aos clientes, como os contratos de manutenção, áreas dedicadas a vans nas concessionárias da marca e novos serviços que serão incorporados no futuro, como conectividade.

Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing vans da Mercedes-Benz do Brasil

A Mercedes-Benz já oferecia o contrato de manutenção para revisões e valores fixos para revisões. Como exemplo, no caso da Sprinter 313 Street (furgão ou chassi cabine) é de
R$ 0,06 no caso do contrato até 60 mil km (três revisões).  

A novidade lançada neste mês é o contrato completo de manutenção customizado conforme a operação do cliente. Neste contrato, além das revisões, estão incluídas todas as substituições de peças por desgaste. O contrato pode ser feito de 1 a 7 anos ou até 300 mil km e deve ser feito dentro do primeiro ano após o emplacamento e o veículo pode ter rodado no máximo 50 mil km. 

Outro anúncio feito pela Mercedes-Benz é a redução em 40% dos valores desses planos de manutenção. Conforme o executivo, essa redução foi possível após um exercício interno para baixar custos para garantir uma maior competitividade dos veículos da marca durante toda a sua vida útil e garantir um maior valor de revenda. “Queremos mudar a imagem que a manutenção de um veículo Mercedes-Benz é cara. Sabemos que não vamos mudar essa imagem de um dia para o outro, mas, com o tempo, vamos mostrar que fizemos isso”, acrescenta. 

Renault Manutenção + Fácil Pro

Assim como a Mercedes-Benz, a Renault já oferecia aos clientes dos utilitários Master o plano de manutenção Revisão + Fácil, ou contrato de manutenção das revisões programadas. Agora, ela lança o plano Manutenção Fácil + Pro que, além das revisões, cobre todas as manutenções corretivas e substituição de peças por desgaste, como pastilhas de freio, embreagem, velas, amortecedores, escape etc. Só não cobre pneus e peças danificadas por mau uso ou acidente.

Alejandro Botero, vice-presidente comercial da Renault do Brasil. Foto Divulgação

No caso da Renault, são cinco as possibilidades de plano:

  • 40 mil Km ou 12 meses, por R$ 0,15 por Km.
  • 60 mil Km ou 24 meses, por R$ 0,14 por Km.
  • 80 mil km ou 24 meses, por R$ 0,16 por Km.
  • 80 mil km ou 36 meses, por R$ 0,17 por Km.
  • 100 mil km ou 36 meses, por R$ 0,17 por Km.

Segundo Alejandro Botero, vice-presidente comercial da Renault do Brasil, os clientes pagam somente pela quilometragem que rodar. 

Alexandre Oliveira, diretor de vendas a empresas da Renault do Brasil. Foto Divulgação

Alexandre Oliveira, diretor de vendas a empresas da Renault, explica que o contrato de manutenção pode ser realizado no momento da compra do veículo e, neste caso ser incluso no financiamento, ou até 90 dias após a compra desde que não tenha feito a primeira revisão, prevista quando o Master completa 20 mil km. O contrato de manutenção é feito com a Renault e o serviço de ser feito em qualquer uma das 300 concessionárias da marca. 

Vale a pena?

Geralmente, os contratos de manutenção são vantajosos a partir do segundo ano de uso do veículo. Um utilitário diesel, em condições normais, dificilmente precisará de substituição de peças no primeiro ano de uso. 

Para saber se vale a pena, primeira coisa é saber qual a média mensal de quilometragem que o veículo irá rodar. Também, se já utiliza algum modelo similar na frota, compare os gastos de manutenção dos últimos 12 meses com o valor do contrato.

O mais justo para os clientes seria ser ofertado, no primeiro ano, apenas o contrato com revisões com custo fixo e, a partir do segundo ano, o contrato completo. 

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).