O Scania R 620 é daqueles veículos sonho de consumo de qualquer apaixonado por caminhões. Mas muito mais do que um objeto de desejo, ele atende o transportador que faz conta, pois desenvolve excelente velocidade média e oferece boas notas de consumo de combustível – este sim um desejo de qualquer frotista.

Isso porque ele possui um motor que é potente, 620 cv a 1.900 rpm, mas que também tem torque elevado, de 306 mkgf entre 1.000 rpm e 1.400 rpm. Esse propulsor permite que o pesado trafegue em alta velocidade sem ultrapassar a faixa verde de rotação. Aliás, isso é regra dos motores Scania, mesmo aqueles com arquitetura em linha.

O R 620 é dotado de um poderoso motor de 16 litros arquitetado em bloco de 8 cilindros em V com injeção direta de combustível e sistema de injeção próprio da Scania denominado PDE com unidades injetoras, cabeçotes individuais e 4 válvulas por cilindro.

Com o nome DC16 17, esse propulsor possui árvore de manivelas mais curta, reduzindo o índice de torção. Isso oferece mais durabilidade ao sistema. O bloco em V, por ser mais curto em relação ao bloco em linha, também facilita o acesso dos profissionais de manutenção, além de, na prática, melhorar a passagem de ar, proporcionando melhor arrefecimento graças aos dois cilindros adicionais.

A eficácia desse motor V8 melhora com o turbo de geometria variável que consegue uma sobrealimentação uniforme em qualquer regime de rotação. Como já é tradição na Scania, combinado ao motor está a transmissão GRSO905 com Opticruise de 14 velocidades, duas superlentas e uma overdrive. Trata-se de uma caixa leve, produzida em alumínio, e potente, assim como o motor, que é adaptada para condições exigentes, seja de peso ou de longo curso.

Para esse modelo configurado 6×2, a Scania oferece o freio-motor por borboleta que tem capacidade de frenagem de 413 cv a 2.400 rpm. Como na versão 6×2 a solicitação do freio retarder é pouco usual, ele é um item opcional.

O eixo traseiro é Scania R885 com diferencial simples e projetado para operações rodoviárias cujo PBTC está no limite. A relação de diferencial é 3,41:1, uma relação longa que se adapta ao perfil dos pneus295/80R22,5. O entre-eixo de série tem distância de 3.300 mm.

O R 620 está montado numa cabine Highline Streamline que une o melhor de dois mundos, ou melhor, de três mundos. Por meio do conceito Highline, ele possui uma das cabines mais confortáveis, e do conceito Streamline, tudo o que o design pode oferecer de favorável à aerodinâmica. Para se ter uma ideia, o desenho da grade frontal e do quebra-sol, somadas às laterais do caminhão que estão mais suavizadas, podem reduzir em 0,6% o consumo de diesel. Por fim, o motor exclusivo ainda traz detalhes alusivos ao V8.

O símbolo V8 é destacado do lado externo do veículo, na porta ao lado da maçaneta, e na grade frontal do caminhão. A bordo, o símbolo do V8 está presente na apresentação do computador de bordo, na soleira das portas e no encosto dos bancos.

De série, o caminhão oferece ar-condicionado digital, defletor de ar digital, controle da suspensão pneumática, cama com beliche, rádio com GPS integrado em tela multimídia, luzes de cabine individuais e geladeira.

Nossa avaliação completa a bordo do R 620 V8 6×2 você confere na edição 163 da revista TRANSPORTE MUNDIAL.  

Compartilhar
Andrea Ramos
Jornalista especializada em veículos comerciais, apaixonada por caminhões e punk rock, e mãe do B e do Ben.
  • mjprio

    Com esse monstro eu faco a festa no Euro truck simulator 2. Descendo a botina ele da mais de 140 na reta. E ja dirijo ele cselecionando o freio motor e o retarder combinados no pedal de freio de serviço! !!

    • Pastor Scarpin Gusso

      Olha o perigo !!! Vai que atravessa um boi na estrada…

      • mjprio

        Nao tem esse problema no jogo kkk