Os benefícios dos caminhões com câmbio automatizado já são comprovados e a marca que não oferecer a opção corre o risco de ficar fora da escolha dos frotistas. Graças à eletrônica embarcada nos motores, caixa de marchas, sistemas de freios etc., o gerenciamento inteligente por meio de softwares faz com o que o caminhão busque a melhor performance entre economia de combustível e desempenho.

Além disso, protege todo o trem de força de erros cometidos pelo motorista, seja por falta de experiência, distração, cansaço etc., além de aumentar a segurança. O câmbio automatizado também auxilia o transportador na hora de contratar motoristas, pois pode focar o treinamento deles em questões mais importantes do que o de passar as marchas corretamente.

Depois dos câmbios automatizados fazerem parte de praticamente 100% da produção dos caminhões pesados, agora começa a crescer entre os semipesados, pelo menos, nas versões mais sofisticadas em motorização. Para que o leitor possa conhecer um pouco mais das opções do mercado, apresentamos aqui as principais características dos concorrentes do Iveco Tector Auto-Shift pela ordem em que foram lançados.

5Scania P Opticruise

O primeiro modelo a chegar no segmento foi o Scania P 8×2 em 2011, na época como equipamento opcional. Segundo o gerente de desenvolvimento de negócios da Scania, Celso Mendonça, em 2014, o Opticruise (caixa GRS905 de 12 velocidades mais duas superlentas) passou a ser equipamento de série para toda a linha de semipesados. Ele explica que a base da caixa é a mesma dos caminhões pesados da marca, mas com configurações de relações, software e calibragem para o segmento semipesado. As marchas superlentas, por exemplo, garantem segurança caso o caminhão pare e precise arrancar em uma ladeira.

A caixa Opticruise já está na quarta geração. “Antes, a caixa fazia as trocas de marchas em função do giro do motor. Já a transmissão de quarta geração tem o perfil do motorista como estratégia de troca de marchas. Agora leva em consideração se ele busca mais economia, rapidez, normal ou está rodando em estrada de terra, mas sempre tendo a certeza de a condução ser a mais econômica e segura possível.

Comparando com as funções da caixa do Iveco Tector, Celso Mendonça diz que algumas novas funções já serão apresentadas na Fenatran deste ano, como o modo manobra. Mas a caixa Scania conta com os sistemas de arrancada em rampa, inteligência para engatar a marcha mais adequada, entre outros.

Anterior
Compartilhar
Andrea Ramos
Jornalista especializada em veículos comerciais, apaixonada por caminhões e punk rock, e mãe do B e do Ben.
  • CÁSSIO

    interessante a matéria sobre transmissão automatizada .