Volvo lança 2ª edição de mapa dos acidentes

44

No ano de 2014, a Volvo lançou um mapa que indentificou e apresentou, conforme a periculosidade, trechos e rodovias com mais ocorrências e, por tanto, mais perigosos do país, o chamado Atlas de Acidentalidade no Transporte, que utilizava a base de dados da PFR (Polícia Rodoviária Federal) para compor o projeto.


Dois anos após a iniciativa, a fabricante lança a segunda versão do estudo, referente ao ano de 2015, quando 122.007 acidentes foram registrados nas rodovias federais do país. Deste total, 90.100 pessoas ficaram feridas e 6.859 mortas. Segundo dados da fabricante, os números apresentados equivalem a uma média de 18,8 mortes por dia.

De acordo com o atlas, a falta de atenção ao volante continua sendo a maior causa de mortes nas rodovias, com 1.203 casos; seguida por excesso de velocidade, com 946 e ultrapassagem indevida, 592 mortes. Quando avaliado outro índice do estudo, a sonolência aparece  No entanto, quando avaliado o índice de gravidade dos acidentes, a causa mais letal foi a sonolência ao volante, com 5,9 na escala do estudo. Em segundo lugar, está velocidade incompatível,  com 4,3 e em empatados em terceiro lugar, dirigir sob efeito de álcool e defeito mecânico no veículo, com 4,2.

Como já constatato em outras pesquisas, o estado de Minas Gerais continua a liderar com mais acidentes em rodovias federais, com 961 casos; seguido por Bahia, com 641; Paraná, com 584; e Santa Catarina, com 461 mortos.


“Acreditamos que as informação são um alerta e também uma ferramenta que auxilia todo motorista para a agir preventivamente. O altas nos mostra que o comportamento inadequado ainda é o grande responsável por mais da metade das mortes nas rodovias”, afirma Solange Fusco, diretora de comunicação corporativa do Grupo Volvo América Latina.

Para conhecer todos os detalhes do Atlas de Acidentalidade no Transporte, clique aqui.