Cabines “Made in China” no portfólio Agrale

979

A Agrale reposicionou a suas família de caminhões com o lançamento de uma gama com um modelo cuja cabine, totalmente nova, é feita com chapa de aço. Assim, a linha 2016 da marca gaúcha, a única 100% de capital brasileiro, fica posicionada assim: Família A (inédita e com cabine de aço), S (de entrada e mais simples) e a LX, mais sofisticada em equipamentos de série. Os modelos das gamas S e LX continuam com a cabine estendida feita de estrutura de aço tubular revestida com fibra de vidro.  


A maior novidade fica por conta da família A com os modelos A7500, A8700 e A10000. Segundo o gerente de vendas da Agrale, Silvan Poloni, a ideia com essa gama de produtos é oferecer caminhões mais competitivos para o mercado de distribuição, além de um tipo de carroceria comum para o mercado.  

A cabine vem completamente pronta da China, inclusive com os equipamentos de série, como ar-condicionado, vidro e travas elétricas, piloto automático, acelerador manual e rádio AM/FM com entradas USB e para cartão SD e dois alto-falantes. A manutenção do caminhão é facilitada pelo fácil acesso aos reservatórios de água do radiador, óleo, fluído de direção hidráulica, sistema de freio e compressor do ar-condicionado e filtros de ar e de óleo. A segurança na condução é facilitada pelos sete retrovidores, sendo dois de rampa (um frontal e outro na lateral direita), dois bifocais (abaixo do retrovisor padrão), além dos retrovisores normais e do vidro-vigia traseiro de série.

O modelo A7500, com PBT de 7 500 kg, é exclusivo da família A e inédito Agrale e nasceu a partir da parceria com o fornecedor chinês. Suas vendas começarão em março de 2016. Já o trem de força é bastante conhecido do brasileiro. O motor é o Cummins ISF 3.8 de 152 cv a 2 600 rpm e torque de 443 Nm (45,2 mkgf) entre 1 100 e 1 900 rpm. A caixa de câmbio é Eaton FSO 4505C de 5 marchas.

FAMÍLIA LX

Os modelos LX têm a gama S como base, porém muitos equipamentos que eram opcionais na S  são de série na nova família formada pelos modelos 8700 LX, 10000 LX e 14 000 LX. 

Os LX já saem de fábrica com ar-condicionado, vidros e retrovisores com comandos elétricos, rádio com entrada USB, alto-falantes, calotas para as rodas, computador de bordo no cluster, piloto automático, acelerador manual para implementos, volante  com ajustes de altura e inclinação, kit de calibração e limpeza, conversor 24V/12V, película nos vidros, defletores de ar, tacógrafo digital, rede porta-objetos atrás dos bancos, basculamento da cabine, lanternas de LED, espelho de rampa, alarme e tapa-sol.

Além dos itens de série, a gama LX oferece kit cama, kit multimídia, climatizador e vidros-vigias traseiros. Ainda há os opcionais exclusivos para o 14000 LX: eixo traseiro de simples redução, kit pneu lameiro e farol de neblina.

TREM DE FORÇA

Na parte mecânica foram poucas as alterações para a linha 2016. Ela é também a mesma para todas as famílias e já consagrada no mercado brasileiro não só pela Agrale, mas por outros fabricantes de caminhões, por se tratar do mesmo fornecedor para diferentes marcas. Assim, por exemplo, o 8700 S, o A8700 e o 8700 LX têm os mesmos motor, câmbio, transmissões, eixos, chassi, capacidade de carga, entre-eixos, suspensões, sistema de freios etc.

Vamos conhecer um pouco de cada segmento (8700, 10000 e 14000) e o que mudou, lembrando sempre que o numeral que nomeia o modelo já faz referência ao seu PBT (Peso Bruto Total), respectivamente, 8,7, 10 e 14 toneladas.

Os modelos 8700 são equipados com motor Cummins ISF 3.8, agora com 162 cv em vez dos 152 cv da linha 2015. O câmbio é FSO 4505C de 5 marchas. O A8700, por ter a cabine mais leve por ser simples em vez de estendida, tem a capacidade de carga útil 420 kg maior que os modelos S e LX. O comprimento da carroceria também é 190 mm maior e o comprimento total do veículo é 30 mm menor. São duas opções de entre-eixos, de 3 500 mm e 4 200 mm, com, respectivamente, 5 630 kg  e 5 590 kg de capacidade de carga (carga útil mais carroceria).

Os modelos 10000 (S, A e LX) são equipados com trem de força, diferenciando da família menor apenas na capacidade de carga e entre-eixos, que são de 3 750 mm e 4 350 mm, com capacidade de carga, respectivamente, de 6 695 kg e 6 590 kg. O A10000 é equipado com o motor Cummins ISF 3.8 de 162 cv. Já os 10000 S e LX podem ser equipados com o motor o Cummins ou com o MWM 4.8 de 165 cv. Apesar da diferença de cilindrada entre Cummins e MWM, ambos tem o mesmo torque de 61,18 mkgf.

Pela necessidade de serem mais econômicos e menos poluentes, os modelos mais modernos são devolvidos para menos cilindrada e potência de motores maiores. Isso explica a diferença entre cilindrada entre Cummins e MWM, porém, preservando potência e torque no motor menor. Já os modelos 14000 possuem versões apenas nas famílias S (Standard) e LX. O motor é o MWM 4.8 de 190 cv e 73,4 mkgf de torque. O câmbio também é Eaton modelo FS 5406A de 6 marchas. As distâncias de entre-eixos são 3 560 mm e 4 800 mm, com respectivamente, 8 860 kg e 8 710 kg de capacidade de carga, considerando também o peso da carroceria. O modelo 14000 S ainda conta com a opção 6×2, com PBT de 22 000 kg e carga útil de 15 330 kg (entre-eixos de 6 024 mm) e 15 620 kg (entre-eixos de 4 784 mm).

Para completar a gama, a Agrale ainda oferece o 8700 TR, um cavalo mecânico que tem como foco principal as autoescolas. O motor dele é o Cummins ISF 3.8 de 152 cv. A medida de entre-eixos é de 2 920 mm e a capacidade de carga é de 11 000 kg de PBTC. 

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).