Cargo 2422: boa opção no mercado de usados

10822

Lançado em 1996, o Ford Cargo 2422 evoluiu sobremaneira até se aposentar em 2002 e ser substituído pelo modelo 2423. Entre as evoluções, pode-se destacar a ocorrida em 2006, quando o modelo passou a ser equipado com motor eletrônico, atendendo aos padrões de emissões e ruído da norma Proconve 5 ou Euro 3, além de agregar uma série de recursos avançados para a época, para facilitar a operação e a manutenção. Na sua última versão, em 2012, o modelo finalmente passou a ser disponibiloizado também com cabine leito.


Mesmo fora de série há três anos, ainda hoje, o Cargo  2422 é um modelo com boa liquidez no mercado. “É um veículo que tem o custo-benefício muito interessante. Além de ser econômico no consumo de diesel, tem custo de manutenção satisfatório”, atesta Flávio Martins, gerente de vendas da Forlan Caminhões, de Contagem (MG).

Em função deste desempenho comercial, não há muitas ofertas do Cargo 2422 no mercado. “É por que quem tem, não vende”, acrescenta Martins. Existem concessionárias que até se “especializaram” na comercialização do modelo, caso da Konrad Sul, com lojas em várias cidades do Paraná e do Rio Grande do Sul.

“Temos realmente muita experiência com este caminhão”, confirma o diretor Andersom Toso. Semipesado  ideal para o transporte de curtas e médias distâncias, o cavalo mecânico do Cargo 2422 é mais utilizado com caçamba do que com cabine fechada e o preferido do motorista autônomo (cerca de 60% dos usuários) no transporte, principalmente de materiais de construção e entulhos dentro das cidades. “Ele é potente e ágil, por isso a gente prefere este ‘carro’ para carregar muita coisa. Ele também aguenta bem o trânsito engarrafado”, garante Geraldo Perez, que está anunciando o seu modelo 2006 e quer comprar outro um pouco mais novo e “nem precisa ter cabine leito”.  

Nestes seus anos de vida o Ford Cargo 2422 passou por melhorias, algumas significativas, outras nem tanto. Em 2003, por exemplo, a Ford disponibilizou o modelo com capacidade para 17.190 kg (entre eixos de 6 024 mm) e 17.120 kg (entre eixos de 6 531 mm), com o objetivo de adaptar o veículo para as condições de transporte urbano ou rodoviário. A ideia da montadora era adequar o Cargo às necessidades de qualquer tipo de cliente,  levando em conta os parâmetros de capacidade de rampa e velocidade final. Outra novidade deste modelo foi o filtro secador de ar (air dryer), para evitar o acúmulo de fluídos decorrentes da umidade do ar e tentar aumentar a durabilidade do sistema e, claro, redução de custo de manutenção. 

As evoluções do Cargo 2422 aconteceram até mesmo na última edição em 2012, principalmente na cabine que ganhou área envidraçada maior, capô de fácil acesso no basculamento de 60 graus, a fim de facilitar o acesso ao motor e, consequentemente, a revisão mecânica. Outra novidade da última edição foi a disponibilidade de cabine-leito, com uma cama embutida de 1,90 m, além dos assentos da cabine com revestimentos de fácil limpeza e várias opções de regulagem.