Catalisador: conheça os principais problemas que podem afetar esse componente

141

O catalisador dos motores Euro VI é projetado para durar entre 160 e 700 mil quilômetros, dependendo do caminhão, mas pode ter a vida encurtada caso não receba a merecida atenção. 

Os agentes capazes de reduzir a vida útil desse componente são a falta de revisões periódicas do motor e o uso de combustível de baixa qualidade.

Miguel Zoca, Gerente de Aplicação de Produtos da unidade de catalisadores da Umicore,  dá mais detalhes sobre o componente e diz que o superaquecimento do sistema de exaustão é o principal causador de danos na peça. “Caso um veículo passe por essa situação, o componente derreterá”, afirma.

Conforme diz, essa falha pode estar relacionada à combustão ineficiente devido a alguma alteração no software responsável pela administração do motor do veículo. Essa mudança pode ser causada por combustíveis de má qualidade, adulterados ou por remapeamento da calibração original do motor com objetivo de obter benefícios de consumo e desempenho.

O Gerente de Aplicação de Produtos cita também como um dos principais problemas o vazamento de óleo ou de aditivos de limpeza que podem ficar estocados no catalisador. “Com a elevação da temperatura durante a operação do catalisador, seu interior pode entrar em combustão, resultando em perda total” garante.

Catalisador de motor Euro V não deve ser usado em motor Euro VI

Outro ponto de atenção é que catalisador de motor Euro V não deve ser usado em motor Euro VI. Isso porque os componentes contam com diferentes tipos de metais nobres para atender corretamente a especificidade de cada montadora.

O Engenheiro de Aplicação de Produto da unidade de catalisadores da companhia, Lucas Nunes, acrescenta que o catalisador mais adequado a ser utilizado irá depender da tecnologia de exaustão, que pode ser ou um sistema de regeneração ativa ou de regeneração passiva.

De acordo com ele, na exaustão com sistema de regeneração ativa as partículas internas presentes no filtro são queimadas pelo aumento de temperatura do motor.

“Já o sistema de regeneração passiva precisa da ajuda do catalisador para gerar a redução desses materiais”, explica o especialista. Esses sistemas estão ligados à conceitos de redução de consumo de combustível e redução de poluentes”, complementa.

“Além disso, os clientes não podem considerar como opção um item feito para caminhões pesados Euro V, pois esse erro pode prejudicar outros componentes do veículo, principalmente o sistema de exaustão”, conclui.

Lucas Nunes observa que quando existir a necessidade da troca do catalisador para um modelo Euro VI, o ideal é contratar o serviço em oficinas autorizadas para haver garantia na qualidade do atendimento. Ele diz ainda que as mudanças trazidas pelo Proconve P8 tornaram a substituição mais difícil.