Constellation 10×4 “encarou” a Scania em 2013

910

Até o final de 2012, a Scania era a única fabricante a oferecer um modelo 10×4 no Brasil, o G 480. A partir de 2013, a marca ganhou concorrentes, com a chegada dos Constellation 31.330 e 31.390. Veja como foi a introdução desses lançamentos no país, em mais um capítulo da série Baú da TRANSPORTE MUNDIAL

Contar com uma empresa dedicada exclusivamente a atender as suas necessidades de customizações tem permitido a MAN Latin America a desenvolver configurações de caminhões para nichos de mercados sem precisar interferir em sua linha de produção em série. Ou seja, a partir de um caminhão normal, a BMB (empresa localizada próxima a fábrica da MAN em Resende (RJ) para atender os pedidos de customização) transforma-o em um novo modelo, como um 6×4 em um 6×6, por exemplo, para aplicações off-road.

Em 2013, a iniciativa culminou no Constellation 10×4, que podia ser feito a partir dos modelos originais 31.330 6×4 ou 31.390 6×2. Ambos são equipados com motores Cummins ISL, o primeiro com 330 cv e o segundo com 400 cv e caixa de marcas ZF de 16 velocidades. 

Diferente dos tradicionais modelos 10×4, o Constellation não tem como foco o trabalho pesado fora de estrada, como o setor de mineração. Quando a MAN projetou o seu 10×4, com dois eixos de tração com rodado duplo e três direcionais (primeiro, segundo e quinto) com um pneu em cada roda, o foco foi o setor de construção civil para operar como guindaste e com bomba de concreto. Nessa configuração de eixo, o PBT técnico chega a 48,7 t, enquanto no 6×4 é de 30,5 t. Os dois eixos a mais proporcionaram uma capacidade de 18,2 t a mais. O CMT (Capacidade Máxima de Tração) é o mesmo no 10×4 e no 6×4 (63 t), pois ele está mais relacionado ao trem de força. 

Já o Scania G 480 CB10x4, com a configuração de cinco eixos (também com o primeiro, segundo e terceiro direcionais e os terceiro e quarto de tração), e PBT técnico, chega a 66 t, com o PBTC  a 74 t e com o CMT a 150 t e, por isso, ele pode atender um leque maior de aplicações, como o setor de mineração. Além disso, traz diversas outras preparações para torná-lo mais robusto para o trabalho off-road.

Bom, as comparações entre um VW e um Scania param por aqui, pois deixa de ser justa, afinal o modelo da Scania pertence a uma categoria bem superior, com potência maior (480 cv), cabine muito mais espaçosa e confortável e uma longa lista de equipamentos de segurança com itens como freios ABS e controle de tração, mas paga-se bem mais por isso. 

Lógico que a intenção da MAN não é oferecer um concorrente direto ao Scania G 480, mas, sim, uma alternativa 10×4 mais barata e que possa encaixar como uma luva em determinadas aplicações. Segundo a MAN, a primeira unidade 10×4 produzida foi um 31.390, comercializada para a empresa Kaiobá. Esse primeiro VW Constellation foi implementado com a maior bomba de lança concreto do Brasil, com alcance vertical de 57,30 m. Caso a necessidade seja para a implementação de guindaste de até 70 t, não há necessidade de se investir na versão mais potente, como foi feito no o caso da bomba de concreto.

Segundo a fabricante, o VW Constellation 31.330 10×4 atende bem essa aplicação. Na época, consultamos as outras três marcas presentes no Brasil que trabalhavam com caminhões 6×4 e perguntamos se havia intenção de lançar produtos similares. De acordo com a assessoria de comunicação da Mercedes-Benz, a fabricante alemã não enxergava demanda nesse nicho de mercado.

A Iveco informou que, na Europa, a marca possuia esse tipo de configuração, mas que no Brasil ainda não havia. Segundo Sérgio Gomes, diretor de planejamento estratégico da Volvo, a empresa, para atender uma demanda da Vale, em 2007, produziu um FM 10×4, com motor de 480 cv, na fábrica de Curitiba (PR). Foram 104 unidades que tinham capacidade de 50 t de carga liquida. No caso do FM, os três primeiros eixos eram direcionais e os dois traseiros de tração. Na época da consulta à marca, a empresa supria a demanda do 10×4 com o FMX 8×4.

Os caminhões 10×4, por terem o peso acima do permitido pela lei da balança, precisam de uma autorização especial de trânsito (AET) para rodar em rodovias.


G 480 CB10x4 foi lançado em 2007
Até o final de 2012, a Scania era a única fabricante no Brasil que oferecia um modelo 10×4. Porém, devido às suas características técnicas, o modelo citado possibilita um uso mais amplo, atendendo as necessidades do setor que precisa de um chassi para guindastes e bombas de concreto, mas também ao setor fora de estrada, como o de mineração, com motor de 480 cv e caixa manual de 14 velocidades ou automatizada Opticruise e Retarder. Segundo a Scania, além do uso fora de estrada, o G 480 10×4 também é indicado para aplicações rodoviárias de alto PBTC (74 t).

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).