MB Axor e Actros com freios a tambor

287

Mercedes-Benz Actros

Mercedes-Benz Actros

A engenharia automotiva já provou a superioridade de frenagem dos sistemas de freios a disco tanto que, na Europa, os freios a tambor foram banidos dos caminhões rodoviários e de uso urbano. Um caminhão com freio a disco pode parar em uma distância de 100 m a 200 m antes do caminhão com freio a tambor, dependendo do peso e do piso. Porém, no Brasil, ainda há uma grande preferência pelo freio a tambor por causa das péssimas condições das nossas estradas que fazem o custo de manutenção dos freios a disco mais altos.

Segundo o Ministério dos Transportes, apenas 12,9% das estradas brasileiras são pavimentadas. O restante é de terra. E mesmo esse pequeno percentual de estradas pavimentadas, mais de 70%, segundo pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte), estão em condições regular ou péssima de conservação.

 Tais fatos têm feito as montadoras retrocederem no avanço tecnológico e no uso de equipamentos de segurança mais eficientes. O caso mais recente é dos caminhões Mercedes-Benz Actros e Axor, antes oferecidos somente com freios a disco, mas por uma exigência característica de países sem investimento em infraestrutura, começaram esta semana a vender os mesmos modelos com freio a tambor como item de série.

A Mercedes-Benz não é a primeira fabricante a ter que dar um passo atrás para atender as condições brasileiras. A Volvo, em vez de lançar no Brasil a mesma linha de caminhões semipesados vendida na Europa, a FE, desenvolveu aqui o modelo VM, um caminhão competitivo em relação aos concorrentes brasileiros, mas não tão avançado como o seu irmão europeu. O mesmo aconteceu quando a marca sueca teve que lançar o chassi de ônibus com motor dianteiro, tipo de veículo, que só deveria ser permitido em locais que comprovadamente não é possível rodar com motor traseiro. Porém, muitos empresários do transporte de passageiros compram os ônibus com motor dianteiro por eles custarem mais barato e, nem sempre, por causa das condições de pavimento.

Mercedes-Benz Axor e Actros

 Os modelos Actros e Axor 6×2 e 6×4 versão Estradeiro (com eixos sem redução nos cubos) passaram, desde o mês de janeiro, a ter o freio a tambor como equipamento de série. “O freio a tambor é indicado para operações mistas, nas quais o caminhão roda em rodovias asfaltadas quanto em estradas de terra, bem como nas condições de intensa presença de poeira ou cascalho”, justifica Gilson Mansur, diretor de vendas e marketing de caminhões da Mercedes-Benz do Brasil. Segundo e executivo, o sistema a disco também continua disponível.

A partir de fevereiro os modelos Axor 2536, 2541 e 254 LS 6×2 (com suspensão pneumática) com configuração de entre-eixos 3 600 mm também passarão a ter o freio a tambor. 

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).