Programa Renovação de Frota: prazo prorrogado e ingresso do Finame

284

O Programa de Renovação de Frota do Governo Federal deverá ser prorrogado, segundo anunciou o vice-presidente da República e Ministro do Desenvolvimento, Geraldo Alckimin. A princípio, o programa, iniciado no dia cinco de junho, tinha previsão de acabar em quatro meses. Outra novidade é o ingresso do BNDES- Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social – através da modalidade Finame para o financiamento de caminhões e ônibus com taxa Selic.

O Governo Federal disponibilizou R$ 1 bilhão para o programa. Desse total R$ 700 milhões é destinado para caminhões e R$ 300 milhões para ônibus para a renovação da frota de ônibus com mais de 20 anos, com descontos que variam de R$ 33 mil a R$ 99 mil.  Do total de recurso já foram utilizados R$ 270 milhões.

“A emissão de um caminhão Euro 6 é 95% menor em relação aos caminhões antigos. Esse programa é importante para a descarbonização, qualidade do ar, meio ambiente e segurança. Vamos solicitar a prorrogação do prazo do programa, previsto para encerrar em quatro meses, até chegar a R$ 1 bilhão. Se a gente conseguir mais recurso o ideal seria que o programa ficar em caráter permanente. Hoje é um programa essencial. Quando passou de Euro 5 para Euro 6 houve um aumento significativo no valor do veículo dificultando as vendas. Por isso é importante o crédito tributário, juros mais baixos e o financiamento do Finame.

Programa Renovação de Frota: ciclo completo

A Volkswagen, o grupo Vamos e a Gerdau se uniram para criar um ciclo completo de renovação de frota. O objetivo é proporcionar mais qualidade de vida e rentabilidade para motoristas autônomos, elevar a produtividade do sistema logístico brasileiro, contribuir com a economia e com um futuro mais sustentável. Foram negociados 140 caminhões Euro 6, todos cavalos mecânicos da Volkswagen modelos Meteor e Constellation.

Como funciona a logística:

Vamos, uma empresa da Simpar, adquiriu 140 caminhões com mais de 20 anos de fabricação (o mais velho com 53 anos) e que eram de propriedade de motoristas autônomos. A idade dos veículos comprados pela Vamos (Transrio) varia de 28 a 53 anos nos quais foram investidos mais de R$ 5,6 milhões com as aquisições. Com a predominância do transporte rodoviário, a modernização e redução da idade dos caminhões em circulação no Brasil é essencial para melhorar a eficiência logística e produtividade do setor e, tão importante quanto isso é, promover benefícios para a economia, saúde, segurança e meio ambiente”, explica Gustavo Couto, CEO da Vamos.

Após a desmobilização, a Vamos encaminhará os veículos adquiridos à Gerdau, recicladora de sucata ferrosa, que será responsável por transformá-los em matéria-prima para a produção de aço 100% reciclável e com uma baixa pegada de carbono. “A Gerdau recicla anualmente 11 milhões de toneladas de sucata metálica, o equivalente ao volume de carros produzidos em um período de cinco anos. O aço é um material infinitamente reciclável e, para cada tonelada de sucata reciclada, é evitada a emissão de 1,5 toneladas de CO₂e”.

Como parte desse processo de renovação, a Vamos irá adquirir 140 caminhões zero quilômetro da Volkswagen Caminhões e Ônibus. “Há mais de 20 anos, a Volkswagen Caminhões e Ônibus defende a criação de um plano para renovar as frotas brasileiras de caminhões e ônibus, que estão envelhecidas, cada vez menos seguras e mais poluentes. Foi com satisfação que recebemos dos ministérios da fazenda e do desenvolvimento, indústria, comércio e serviços a notícia do lançamento do primeiro programa brasileiro de renovação de frota, incentivando a aquisição de veículos mais sustentáveis, ao qual aderimos de imediato”, explica Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Leia mais

Qual a melhor opção para o autônomo trocar de caminhão