Um ano de desafios

39

Aumento de combustíveis e de impostos, além de outras medidas indigestas à maioria da população: este foi o cenário desse começo de 2015. Independentemente do setor, as empresas seguem com suas respectivas rotinas, enxugando despesas e buscando meios para melhorarem seus desempenhos, com menos recursos e mais vontade. Será um ano de muitos desafios, de investimentos modestos e de projetos nada ousados, ao menos, para boa parte das organizações.

Para o segmento do transporte não será diferente. Com um clima de incertezas tanto na política quanto nas questões macroeconômicas, a tendência é que em todos os modais a prioridade este ano seja sobreviver. O fato é que o Brasil precisa urgentemente alcançar maior produtividade, adotar uma agenda positiva que inspire confiança e propicie um ambiente de negócios mais favorável ao crescimento tão sonhado e ainda não alcançado.

Como empresário das áreas de transporte e de logística, enfrentar os entraves da infraestrutura é parte de minha rotina; orquestrar a necessidade de manter a empresa produtiva, com bons serviços e um caixa saudável também. Para todos os modais a migração para uma plataforma que suporte a competitividade, otimizando recursos – entenda-se aqui capital humano, energia, água e tecnologia, entre outros – e alcançando um padrão premium de atendimento é tarefa hercúlea. Não é nada fácil no Brasil de hoje conseguir ser um player capaz de ofertar bons serviços, com agilidade e eficácia.

No ano passado, algumas empresas já previam tempos difíceis e trabalharam focadas no caixa. Desde 2013 tenho, com o apoio de diretores e colaboradores competentes,  conduzido a TA para uma gestão enxuta e focada na busca de uma receita equilibrada, com investimentos pensados e dirigidos ao que é essencial, sem apostar em soluções mágicas que nos comprometam financeiramente. A intuição e os anos de vivência neste mercado nos orientaram bem. Estamos preparados para enfrentar 2015 com garra e disposição para trabalhar duro, apostando na melhoria de nossos serviços e de nossas filiais e centros de distribuição instalados em mercados potenciais, na capacitação de nossos profissionais, na manutenção de uma gestão responsável e na esperança – forte – de dias melhores.