Visão da Scania para 2016

104

Em encontro com jornalistas que cobrem o setor de transportes, na quinta (10/12), o diretor-geral da Scania Brasil, Mathias Carlbaum, disse que o mercado de caminhões acima de 15 toneladas (semipesados e pesados) deverá encerrar este ano com queda de 67%. De janeiro a novembro a queda já é de 55% de dezembro mostra-se um mês bastante fraco por causa do fim do Finame PSI. Em unidades, o ano fechará com cerca de 40 mil.

Para 2016, o executivo espera um mercado ainda menor, entre 35 mil e 36 mil unidades, com outra queda entre 10% e 15% nas vendas de caminhões da mesma categoria. Assim, só nos três últimos anos, as quedas têm sido sucessivas, pois de 2014 para 2015 o mercado já havia caído mais de 10%. Hoje o setor apresenta um retrocesso de cerca de 15 anos. Além disso, dois terços dos caminhões emplacados em 2015 foram produzidos em 2014.

Segundo Carlbaum, as quedas estão relacionadas a falta de confiança dos investidores e na instabilidade econômica que, consequentemente, provocaram a redução da atividade econômica e uma profunda recessão com sucessivos PIB negativos. “O receio de compra por parte dos transportadores (autônomos e empresários) é extremo”, diz.

FINANCIAMENTO

Sobre o fim do Finame PSI, com taxas bem abaixo da inflação, Mathias Carlbaum acredita que essa modalidade de financiamento não volta mais. “Vamos trabalhar com a realidade. Em nenhum lugar do mundo se pratica juros de financiamento menores do que a inflação”, comenta.

A partir de janeiro, a Scania passará a oferecer o leasing operacional, seguindo os passos da MAN, que foi a primeira marca a oferecer esse produto no mercado brasileiro para os modelos da família TGX.

Diferentemente leasing convencional, no qual o cliente paga uma parcela final e fica com o bem, o leasing operacional funciona como um aluguel que inclui todas as despesas do caminhão com licenciamento, seguros e contratos de manutenção. No final do contrato, o cliente apenas devolve o produto e contrata outro 0 km. Caso queira comprar o bem, poderá pagar preço da tabela de mercado.

Por lei, no leasing operacional não se pode existir pagamento de entrada. Mas, como em um aluguel de imóvel, pode-se exigir um depósito caução. A Scania exigirá 10% do valor do bem em depósito caução e o valor fica aplicado e é devolvido no final do contrato com todos os rendimentos. Os contratos poderão ser de três ou quatro anos e apenas para os três modelos rodoviários mais vendidos.

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).