Instituto cria painel do diesel para entender oscilações de preço pelo País

221

O diesel ocupa boa parcela nos custos operacionais das atividades de transporte. Nesse sentido, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), as transportadoras gastam, em média, 35% de seu faturamento com o abastecimento dos veículos.

Seja como for, ao longo dos últimos anos, o combustível vem sofrendo diversas variações. E que impactam diretamente não só a estrutura das empresas de transporte. Mas toda a economia.

Em meados de 2022, o diesel chegou a apresentar recorde de altas no valor, devido a uma série de desafios nacionais e internacionais. Como a alta do dólar, a guerra na Ucrânia e a política de preços da Petrobras, que obtém os valores do mercado externo.

Nova realidade para o diesel

Mas a realidade tem mudado. De acordo com o Instituto Paulista de Transporte de Cargas (IPTC), só nos últimos 12 meses, o preço do diesel caiu 34.57% para o consumidor.

Assim, diante desse cenário de variações, o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região, (Setcesp), elaborou o painel do diesel em parceria com o IPTC. A ferramenta auxilia o transportador associado à entidade para que ele tenha mais eficiência no custo operacional. E para poder acompanhar os aumentos do combustível em 106 municípios do estado.

LEIA TAMBÉM: Venda de pneus de carga fecha o semestre com 15% de retração

O projeto, que surgiu justamente pela alta atípica no preço do diesel, é atualizado semanalmente. E todos os dados brutos são colhidos junto aos levantamentos da ANP.

Dessa forma, com o dispositivo, o transportador consegue ter uma noção sobre valores do diesel em diferentes estados. Sendo possível o motorista se organizar para o momento de definição da rota que percorrerá.

Ademais, há ainda uma série histórica de como está o cenário. Assim, a entidade consegue também contribuir para a diminuição do impacto no setor de transportes. 

Mesmo nesse momento de queda, as variações continuam em diversos estados brasileiros. Diante desse cenário, o IPTC desenvolveu um painel que auxilia o transportador, para que ele tenha mais eficiência no custo operacional. Do mesmo modo, possa acompanhar as oscilações dos combustíveis.

Variações

Instituto cria painel do diesel que possibilita entender as oscilações do combustível
Preço do diesel tem diferentes preços pelo País

Nesse sentido, durante a última semana de 16 a 22 de julho, a maioria das capitais apresentou variações não tão relevantes nos preços do Diesel S10 e do Diesel comum. No entanto, algumas localidades tiveram movimentações mais significativas. Reforçando a importância de monitorar regularmente as flutuações nos preços do combustível. Afinal, mesmo pequenas variações podem ter impactos significativos nos custos operacionais das empresas e no dia a dia dos consumidores.

Em Belo Horizonte, o valor do diesel comum subiu 5,25%. Ou seja, apresentando um valor atual de R$ 4,81. Em Curitiba, o valor do diesel comum cresceu 3,13%, fechando a R$ 4,95. Já em Porto Alegre, o valor do combustível comum sofreu uma alteração de 2,77%. Assim, chegando a R$ 5,20.

Vitória, por sua vez, apresentou queda no valor do diesel S10 de 4,12%, ficando a R$ 5,35 o litro.) E o valor do diesel comum também mostrou retração de 4,41%, custando R$ 4,99.

Do mesmo modo, São Paulo também teve queda no valor do diesel S10. Porém menor, de 1,17%, finalizando o período com o valor médio de R$ 5,05. Enquanto não houve variação no diesel comum.

Onde o combustível é mais caro 

Contudo, mesmo sem grande variação, a capital com diesel mais caro é Rio Branco. Ou seja, lá o litro do diesel S10 custa R$ 5,91 e o comum R$ 5,84. Já o mais barato está localizado em João Pessoa, com valores do S10 em R$ 4,70 e o comum em R$ 4,60.
 
Seja como for, Ricardo Henrique, analista de dados do IPTC, diz que no geral, o preço do diesel S10 registrou quedas em algumas áreas. Enquanto o diesel comum se manteve relativamente estável.

“Essas variações refletem a dinâmica do mercado de combustíveis, sujeito a fatores como demanda, oferta e políticas econômicas. É importante ressaltar que as flutuações nos preços do combustível podem ter impactos significativos para consumidores e empresas. Assim, afetando seus custos operacionais e despesas diárias. Por isso, é essencial acompanhar de perto essas variações e estar ciente das tendências do mercado”, comenta o analista.