Mais queda

31

O registro de queda nas vendas de semirreboques foi brusco

O registro de queda nas vendas de semirreboques foi brusco

Segundo dados da Anfir (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários), o total de implementos rodoviários emplacados no primeiro quadrimestre de 2015 apresenta retração de 38,63%.

No segmento pesado (que envolve reboques e semirreboques) a queda é de 50,74%, ou seja, 9.341 unidades no período contra 18.962 registrados no primeiro quadrimestre de 2014. No setor leve (que compreende carroceria sobre chassi) o percentual negativo é de 31,16%. Foram 21.158 implementos rodoviários emplacados ante 30.735 produtos no mesmo período do ano passado. 
 “O ano se aproxima de sua metade e qualquer ação para ajudar a indústria precisa ser tomada com rapidez para que seus efeitos consigam reduzir as perdas no setor ainda em 2015”, afirma Alcides Braga, presidente da Anfir, reeleito em assembleia da entidade ocorrida em abril para o mandato de 2015 a 2018. 

Soluções
Em março, a entidade encaminhou ao MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), o pedido para a implantação do programa de renovação de frota, que inclui a substituição de implementos rodoviários antigos por modelos mais novos e seguros. Na ocasião, a entidade também solicitou alterações nos financiamentos de implementos rodoviários, ampliando a participação do BNDES para até 80 % do valor do bem. A regra atual do PSI/Finame estabelece a parcela financiável em 70% para pequenas e médias empresas e 50% para grandes empresas. Ambos os pedidos estão em estudo pelo MDIC. 
A previsão feita pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), em abril, indica retração do PIB industrial para um índice bem abaixo do PIB nacional. Segundo projeção da entidade, o produto interno bruto do setor como um todo poderá ficar em 3,4% negativo.

Recuperação

 Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco, analisou a situação atual aos executivos da Anfir e indicou que o pior trimestre de 2015 foi o primeiro e por isso, de acordo com suas projeções, até o final do ano o nível de atividade econômica só tenderia a crescer. Há movimentos por parte do governo federal no sentido de movimentar os negócios.
Está em estudo um novo pacote de investimentos em infraestrutura que prevê o leilão de três aeroportos (Porto Alegre, Florianópolis e Salvador), quatro trechos de rodovias e uma extensão da ferrovia Norte-Sul, indicando que obras deverão ser feitas.

“Poderemos ter um movimento de recuperação da economia sem no entanto representar resultado positivo no PIB mas apenas para reduzir as perdas”, diz Mario Rinaldi, diretor Executivo da Anfir.

Fenatran

 A indústria de implementos rodoviários já tem reservados 13 mil metros quadrados de área de exposição na edição 2015 da Fenatran.  A área será ocupada por 40 empresas do setor. “É nos momentos de crise que não se pode esmorecer e por isso a indústria de implementos rodoviários não vai ficar de fora da maior feira de transporte de carga do Brasil”, diz Braga.