Sprinter reestilizada traz tecnologia; van encarece 5%

146

Após a versão reestilizada da Sprinter desembarcar na Argentina em janeiro, na última terça-feira (2) foi a vez da Mercedes-Benz Brasil acrescentar as 60 versões do novo modelo ao seu portfólio.

Produzida na planta de Juan Manuel Fangio, em Virrey del Pino (Argentina), a Sprinter traz leves mudanças em seu design, como novos conjuntos ópticos frontais e traseiros. No entanto, as principais novidades do conjunto são as luzes do tipo DRL (Day Running Light) que, embora não sejam de LED, atendem a legislação que obriga os veículos a trafegarem com os faróis baixos ligados durante o dia. Há mudanças também na grade frontal, assim como no para-choque e capô.  

A Mercedes-Benz promoveu uma mudança na nomemclatura da versão 311, que passa a ser chamada de 313, enquanto as demais permanecem da mesma forma: 415 e 515. A motorização permanece a mesma para as três versões: OM 651 LA de 129 cv (313) e OM 651 LA de 146 cv (415 e 515).

TECNOLOGIA
Nos quesitos tecnologia e segurança, as grandes novidades da Sprinter ficam por conta do Crosswind Assist (Assistente de Vento Lateral) e do controle de estabilidade, que já equipavam a intermediária Vito e passam a ser item de série no modelo. Dotado de sensores, o assistente é acionado caso sejam detectadas rajadas de ventos que possam causar deslocamento do veículo, mas somente em velocidades acima de 80 km/h.

Com a ampliação dos equipamentos na Sprinter, houve também um acréscimo de 5% no preço. Há 22 anos no mercado brasileiro, e com mais de 120 mil unidades comercializadas no país, a nova Sprinter está mais preparada para lidar com a concorrência dos modelos Renault Master e Iveco Daily. Saiba o por que, e confira todas as novidades do modelo, na edição 157 da revista TRANSPORTE MUNDIAL.