Comerciais: os 10 veículos mais desejados em 2015

560

O ano de 2014 não foi o melhor para o mercado de veículos comerciais em geral, mas também não deixou de representar. Mesmo com a queda de 11,3%, foi considerado o quinto melhor ano da história da indústria nesse segmento. 
E 2015 não está sendo muito diferente, mas os bons ventos sopraram também para os veículos comerciais leves, aqueles com PBT até 6 t (aí entram furgões e chassis pequenos, furgões médios e caminhões semileves).
 
Juntas, essas três categorias tiveram 92.546 unidades emplacadas durante 2014 – número bastante representativo.Tamanho resultado despertou a curiosidade da nossa equipe, que foi investigar quais os predicados de cada um dos modelos mais vendidos em cada uma dessas categorias. Para que nosso leitor possa diferenciá-los, separamos os mais vendidos pelas categorias: caminhões semileves, chassis e furgões pequenos e furgões. Também fizemos nossas escolhas. Elencamos quais são os modelos que não figuram entre os mais vendidos, mas que são competitivos e têm tudo para alterar a posição do ranking durante 2015. 

CAMINHÕES SEMILEVES

Mercedes-Benz Sprinter 415 longo

Em 2014 este veículo encabeçou o ranking de vendas. Nesse ano foram emplacadas 930 unidades, sendo ele o responsável por 23,32% das vendas no segmento de caminhões semileves.
Este veículo de rodado simples é equipado com vidros elétricos, ESP adaptativo, airbag do motorista com ASR (controle de tração), BAS (sistema de assistência à frenagem). Também conta com volante escamoteável, rádio CD/MP3 e espelho retrovisor elétrico com prolongamento. Além dos itens de conforto a bordo, este líder de venda tem o motor como o seu maior atributo. Trata-se de um modelo produzido pela Mercedes, o OM-651 LA, biturbo, de 4 cilindros em linha, que desenvolve 146 cv a 3.800 rpm e torque de 33,6 mkgf de 1.200 a 2.400 rpm. O motor trabalha em conjunto com uma caixa manual de 6 velocidades, produzida pela ZF, a S6 450. 

A suspensão dianteira é independente com conjunto de molas transversais parabólicas, com amortecedores hidráulicos de dupla ação. Já a traseira é de eixo rígido, com molas parabólicas e também com amortecedores hidráulicos de dupla ação. Outra qualidade do Sprinter é seu PBT (Peso Bruto Total) de 3.880 quilos. A carga útil não é de 2 083 quilos. Para quem quer mais segurança e agilidade, o Sprinter é uma escolha acertada, mesmo porque, pelo seu preço, ele entrega um pacote de conforto e de tecnologia de segurança.

Volkswagen Delivery 5.150

Resistência, maior capacidade de carga e fabricado a partir de um caminhão leve com chassi de longarina, este modelo é o que mais tem cara de caminhão, se compará-lo aos competidores de seu segmento. 
O Delivery 5.150, que durante 2014 vendeu 720 unidades, é equipado com o motor Cummins ISF de 3,8 litros com sistema de pós-tratamento de emissões (SCR) baseado na utilização de Arla 32, com potência de 150 cv a 2.600 rpm e torque de 45,6 mkgf de 1.100 a 1.900 rpm. Ele ainda conta com a transmissão ZF S5 420 HD, de 5 marchas com acionamento a cabo e embreagem com diâmetro de 330 mm – mais robusta, portanto, durável. Para se ter uma ideia, segundo a engenharia da MAN essa configuração reduz em torno de 30% o número de trocas de marchas. Com o PBT de 5.500 kg, o modelo está disponível com duas opções de entre-eixos, que atendem à legislação de VUC: 3.175 mm e 3.900 mm.
 
No pacote tecnológico e de conforto, esse modelo não entrega tanto em relação ao seu competidor, também alemão. Possui computador de bordo com indicação de marcha, troca de filtro, nível do tanque de Arla 32, horímetro, entre outros. E como opcional traz banco pneumático e ar-condicionado. Seu predicado está na robustez, graças ao chassi de maior resistência, desenvolvido com longarinas planas que facilitam a implementação do veículo com diversos tipos de carrocerias. A vantagem está na capacidade de carga útil de 2 810 kg, a maior da categoria.


Iveco Daily 55C17 (Cabine Simples)

Atendendo às demandas de VUC (Veículo Urbano de Carga), comuns às capitais, o representante da italiana Iveco, o Daily 55C17 pode operar dentro de zonas de restrição nos grandes centros urbanos a qualquer hora do dia, o que facilita as operações dos clientes que trabalham no varejo e dependem de uma distribuição eficaz. O veículo é equipado com motor FPT, de 4 cilindros em linha com potência de 170 cv a 3.500 rpm e torque máximo 40,9 mkgf de 1.300 a 2.700 rpm. 
Ele é equipado com uma transmissão ZF de 6 velocidades. Suas vendas, durante 2014 foram de 681 unidades, deixando para trás fortes concorrentes, como o Mercedes-Benz Sprinter 515 e o clássico da Ford F-350.

O Daily 55C17 chama atenção pelo seu interior confortável e ergonômico, graças ao câmbio que é acoplado ao painel, próximo ao volante. Sua capacidade de carga útil de 3.150 quilos se deve também ao seu chassi de longarina (equivalente ao chassi de caminhão), que é mais resistente e permite transportar mais peso. O Daily 55C17 ainda possui versão cabine dupla, mais direcionada às operações de serviços urbanos.

ESCOLHA DA REDAÇÃO


Ford F-350

A linha F é um clássico entre os veículos comerciais. Tanto é que pouco tempo de volta ao ranking, ela já ocupa a quinta posição, com 542 unidades vendidas em 2014.  O F-350 tem PBT é de 4 500 kg e capacidade de carga útil de 2 128 kg. Seu motor é Cummins, com potência de 150 cv, e a transmissão de 5 velocidades é Eaton, que tem relação de marchas que otimiza a força do motor em diferentes condições de rodagem, aumentando em mais de 11% o torque nas rodas. O caminhão traz freios ABS por força da lei, com distribuição eletrônica (EBD) e ar-condicionado de série.

CHASSIS PEQUENOS E FURGÕES

Renault Master Grand Furgão L2H2 

Com 12 230 unidades vendidas em 2014, o Master é o preferido nesta categoria. A versão mais vendida da gama é a furgão. Dentro das 12.230 unidades, 5.136 foram furgões, sendo o modelo Grand Furgão L2H2 o mais vendido, com 2.683 unidades. Esta versão possui chassi médio e teto alto, com 5.550 mm. Sua porta deslizante ficou 17,1 cm mais larga, que, aliado à porta traseira dupla, facilita às operações de carga e descarga. A bordo o carro ganhou itens que privilegiam o conforto, como os porta-objetos e os porta-copos.  coluna de direção conta com ajustes de altura e profundidade, assim como os bancos, ajudando o motorista a encontrar a melhor opção para ter uma boa dirigibilidade. O painel próximo ao condutor favorece a ergonomia. Em termos de acabamento e conforto, esta versão é a mais bem ajustada, o que justifica o volume em vendas, ainda mais se agregar a robustez. Seu PBT é de 3.500 kg, tendo capacidade de carga útil de 1.539 quilos. O veículo oferece 130 cv a 3.500 rpm e torque de 31,6 mkgf a 1.500 rpm. 

Fiat Ducato Minibus Teto Alto

O segundo colocado da lista é o Fiat Ducato, que no ano passado emplacou 12.199 unidades. Contudo, segundo a assessoria de imprensa da Fiat, 60% dessas vendas correspondem à versão de passageiros – o Ducato é um dos modelos preferidos no transporte escolar, graças ao trem de força e à tradição de estar há 15 anos no mercado.
O veículo é dotado de motor F1A MultiJet Economy, desenvolvido e produzido pela FPT Industrial, e comparando a versão anterior, antes da norma L6 de emissão de poluentes para comerciais leves, que entrou em vigor em 2012, esse propulsor está mais econômico em até 8%. Ele conta com o sistema MultiJet II, que garante maior precisão da injeção de combustível. Com ele, o propulsor apresenta melhor desempenho, além de menores consumo de combustível, ruído e emissões de NOx (óxidos de nitrogênio). Os 127 cv de potência a 3.600 rpm foram mantidos, enquanto o torque aumentou em 6%, de 30,7 mkgf  para 32,6 mkgf a 1.800 rpm. O Ducato não está entre os mais rebuscados de sua categoria, no entanto, seu espaço é o que mais o privilegia para o uso no dia a dia. Na versão Minibus Teto Alto é possível transportar 15 passageiros mais o motorista e espaço para bagagem.

Hyundai HR 2.5 TCI

O Hyundai HR tem o preço como principal atrativo. E a partir deste mês, o veículo chega às concessionárias de todo o país com itens adicionais de segurança: airbag para motorista e mais dois passageiros e freios ABS – itens já previstos em lei. Para atender a norma L6, o motor diesel 2.5L de 16v é de 4 cilindros em linha e desenvolve uma potência de 130 cv a 3.800 rpm e torque de 26 mkgf, obtidos entre 1.500 rpm a 3.500 rpm, o mais amplo da categoria. Esse propulsor possui turbo com intercooler, injeção direta commom rail CRDI, além dos sistemas EGR de recirculação dos gases de escape e DPF, um filtro de partículas dos gases. 

Para atender o cliente que é foco deste modelo, a maioria profissionais autônomos, a Hyundai trabalhou no conforto do veículo, tanto é que possui de série vidros elétricos, faróis de neblina, ar quente, volante com regulagem de altura e direção hidráulica. Na sua versão única, com chassi carroceria e sem caçamba, rodado traseiro simples, ele mede 4.850 mm de comprimento por 1.740 mm de largura, e a cabine leva até três ocupantes. O entre-eixo é de 2.430 mm e a capacidade de carga é de 1.800 kg.

ESCOLHA DA REDAÇÃO

Sprinter 311 Street Chassi

O chassi 311 Street, por ser classificado como caminhonete, tem livre circulação nas cidades, obedecendo apenas ao rodízio municipal de veículos. O modelo atende as mais diversas demandas do transporte urbano, como também pequenos comércios como a novidade dos food trucks, nessa configuração chassi-cabine. Implemento guindaste e baú sider estão entre as composições mais comuns neste veículo. O seu tradicional trem de força produzido pela Mercedes-Benz é outro atributo que levam os clientes a comprarem o produto. 

O caminhãozinho é equipado com motor OM-651 LA, de 4 cilindros verticais em linha, que desenvolve potência de 114 cv a 3.800 rpm e torque de 28,5 mkgf de 1.200 a 2.400 rpm. A capacidade de carga útil de 1.847 kg também o faz competitivo dentro dessa categoria. De série ele é equipado com vidros elétricos, ESEP Adaptativo, airbag do motorista e acompanhante, volante escamotável, rádio com CD e MP3 e espelho retrovisor elétrico com prolongamento. Nessa categoria, durante 2014, o Sprinter 311 que está na sétima posição, vendeu 2.635 unidades.

FURGÕES PEQUENOS


Fiat Fiorino

Líder absoluto neste segmento há 12 anos, a Fiat comemora mais um ano no topo, com a venda de 23 818 unidades do Fiorino – leia-se 74,26% de participação no segmento de furgões pequenos. Ao contrário da máxima “em time que está ganhando, não se mexe”, em 2013 a Fiat mexeu e remexeu no Fiorino sem medo de perder market share. E nem perderia, pois o carro ficou mais moderno, econômico, dinâmico, porém, ainda com o DNA de um carro para toda obra, o que garantiu anos de sucesso. Além do novo design, o veículo ganhou motor 1.4 Evo Flex, que desenvolve potência de 85 cv a 5.750 rpm (gasolina) e 88 cv a 5.750 rpm (etanol) e seu torque é de 12,4 mkgf a 3.500 rpm (gasolina) e 12,5 kgfm a 3.500 rpm (etanol). Com 200 mm mais comprido, 21 mm mais largo, 27 mm mais alto e com entre-eixos 140 mm maior, o modelo passa a transportar até 650 kg (3.100 litros).A suspensão traseira de feixe de molas também é inteiramente nova, e é mais robusta, adequada para vias má conservadas. O habitáculo ganhou isolamento acústico e na área de carga há revestimentos no assoalho e nas laterais do baú.

Renault Kangoo

Com maior capacidade de carga, de 800 kg, o Renault Kangoo chama a atenção pela sua porta lateral ampla e pelas portas traseiras assimétricas com amplo ângulo de abertura, de 180°, dando mais agilidade às operações.No quesito segurança o carro é equipado com freios ABS e airbag duplo de série. Para os clientes que se preocupam com economia de combustível e redução de custos, o Kangoo 2015 é classificado com nota “A” no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, desenvolvido pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) e Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). 

O modelo da grige de origem francesa é equipado com o motor 1.6 16V Hi-Flex, que desenvolve potência de 98,3 cv (etanol) e 95 cv (gasolina), a 5.000 rpm. O torque máximo é de 15,3 mkgf (etanol) e de 15,1 mkgf (gasolina), a 3.750 rpm. Internamente as novidades do Kangoo 2015 são os bancos da cabine, agora com novos tecidos mais confortáveis e de fácil limpeza. O painel de instrumentos e os revestimentos de porta ganharam tonalidade escura.

Fiat Doblò

O espaço interno é o atributo do Doblò Cargo da Fiat. O modelo, ano passado, ganhou mudanças internas que deixaram mais confortável e mais prático para o dia a dia do motorista no seu dia a dia, como o novo volante, de empenhadura mais robusta e os novos porta-objetos localizados no painel do lado do condutor e do passageiro. Os bancos receberam revestimento com novas cores e, assim como o veículo que ganhou também novo revestimento que facilita a limpeza. O Doblò também está muito bem equipado de série, contando com airbag duplo e freios ABS com EBD.

Sua capacidade de carga não figura entre as maiores, é de 620 kg, no entanto, o motor confiável e seu design moderno fazem desse modelo atrativo. É equipada com motor FPT 1.4 ou 1.8, de 4 cilindros em linha. A versão 1.4 desenvolve 85 cv de potência com gasolina, e 86 cv no etanol a 5.750 rpm, e torque de 12,4 / 12,5 mkgf a 3.500 rpm. Na versão de 1.8 litros, o motor desenvolve potência de 130 cv na gasolina  e 132 cv no etanol a 5.250 rpm e torque de 18,4 e 18,9 mkgf a 4.500 rpm.