Crescimento sustentável

86

Empresa, ?no Brasil, movimenta 1,3 milhão de tonelada/ano

Empresa, ?no Brasil, movimenta 1,3 milhão de tonelada/ano

Enquanto segue com seu plano de crescimento, o Grupo Solvay, um expoente do setor petroquímico mundial, busca alinhar todas as suas unidades de negócios com o tema sustentabilidade. Todas as empresas entram na roda, inclusive a mais novata no Grupo Solvay, mais reconhecida no Brasil como a Rhodia. Segundo Leila Zuccari, gerente de Logística e Compras de Embalagens da Solvay na América Latina, o processo de aquisição se deu em 2011, mas todas as empresas desse ramo têm que cumprir requisitos mandatórios devido à legislação SASSMAQ e outras.
 
A empresa, ?no Brasil, movimenta 1,3 milhão de tonelada/ano e gastos anuais em logística de R$ 210 milhões. Quando as atividades envolvem a cadeia de suprimentos, os rigores na avaliação da prática dos fornecedores de transportes são maiores e devem se engajar com os ditames da Solvay. “E como signatária do Programa Atuação Responsável, coordenado no Brasil pela ABIQUIM (Associação Brasileira da Indústria Química), que regula esse setor, a sustentabilidade é parte integrante da nossa estratégia, fonte geradora de valor em longo prazo. O contrato de logística é muito rigoroso”, explica Leila.

A iniciativa inspirou o desenvolvimento da política de desenvolvimento sustentável “Programa Solvay Way”. Para compreender o processo é importante dizer que as partes integrantes – clientes, comunidade, planeta, investidores, empregados e fornecedores – têm cinco objetivos prioritários. São eles: 1) Alcançar excelência em segurança, saúde e higiene ocupacional; 2) Aumentar a venda e a participação de mercado com portfólio de atividades que atendam às exigências do desenvolvimento sustentável; 3) Melhorar o desempenho de nossas tecnologias, processos e produtos para evitar lesões e limitar o impacto ambiental ao longo de todo o ciclo de vida dos produtos; 4) Reduzir as emissões de gases de efeito estufa, o consumo de energia e água, os impactos negativos sobre o solo, água e qualidade do ar e o uso de recursos; e 5)  Desenvolver um diálogo social rico e equilibrado.

Segundo Leila, o programa integra 23 compromissos. Dentre eles, podem ser citados dois especificamente relacionados aos fornecedores: definir pré-requisitos de RSC (Responsabilidade Social Corporativa) no processo de seleção de fornecedores, e gerenciar e avaliar a desempenho dos fornecedores segundo estes critérios, otimizando as relações.
“Todos os fornecedores de logística e transporte já passam por esses processos internos de avaliação”, garante.

Então, a redundância é algo a mais. Eles chegam a somar 46 parceiros, que movimentam um faturamento de R$ 210 milhões na compra de serviços. E tem de tudo entre os 80 parceiros de logística e transporte, dos quais 20 são transportadores, pessoa jurídica (não podem subcontratar autônomos pessoas físicas). O grupo se envolve em pelo menos 300 carregamentos por dia nas seis plantas da empresa no Brasil.

A frota tem siders, tocos, truques e baús. Para garantir o nível de excelência, durante um ano as parceiras são avaliadas para medir o desempenho, isso em oito áreas de negócios diferentes. Inicialmente a avaliação é mais regular, depois acontece a cada dois anos. Um exemplo bem-sucedido fez com que a mudança da logística de recebimento de matéria-prima e expedição de produto tenha acabado de forma combinada, somando 50 mil carregamentos/ano, isso promoveu o fim da ociosidade, após uma limpeza a cada viagem. “A redução de custos com a maior produtividade superou R$ 1 milhão, além da redução de CO²”. 

Quanto à intermodalidade entre o transporte rodoviário e ferroviário, “estamos tentando desenvolver a logística, mas a ferrovia parou. O fluxo do Centro-Oeste para Sudeste seria enorme, mais econômico. Ainda temos algo na cabotagem no trecho a partir do Porto de Santos para o Nordeste”, comenta Leila, reclamando que a ineficiência é muito grande. No transporte, a movimentação concentra-se 95% no Sudeste. “Temos muitos entraves e barreiras alfandegárias”, reclama.
 
Juntos pela sustentabilidade

O Grupo Solvay integra, com outras indústrias químicas, a iniciativa mundial denominada Grupo TfS – Together for Sustainability – iniciativa que tem como objetivos unir forças para criar padrões para cadeias de fornecimento sustentáveis, compartilhar avaliações de sustentabilidade e resultados de auditoria, aumentar o conhecimento e iniciar melhorias contínuas e trocar e promover melhores práticas.

A redução de custos, com a maior produtividade, superou R$ 1 milhão