A Fabus (entidade que representa os fabricantes de carroceria de ônibus) tem sete das nove indústrias conhecidas no Brasil. São associadas a Caio Induscar, Comil, Irizar, Marcopolo, Mascarello e Neobus. Apenas as empresas AMD e Bepobus não estão nos quadros de associados da Fabus.

Segundo dados da Fabus, a produção de ônibus entre suas associadas em janeiro de 2018 foi de 989 unidades contra 346 do mesmo período de 2016, um crescimento de 185,84%. Como carroceria de ônibus é produzida sob encomenda, entende-se que esses volumes representam vendas.

O segmento que mais teve produção em janeiro deste ano foi o de transporte urbano. Foram 480 unidades, o que representou 48,53% do total. Já o transporte rodoviário teve 291 ônibus (29,42%) fabricados, seguido do segmento de micro-ônibus com 117 unidades (11,83%) e do intermunicipal com 101 (10,21%).

Entre as associadas da Fabus e considerando todos os segmentos, a Marcopolo foi a encarroçadora que mais produziu em janeiro de 2018, total de 580 carrocerias. Em segundo lugar está a Caio Induscar (173), seguida da Neobus (101), Mascarello (71), Comil (40) e (Irizar).

Fabricantes de chassis

No caso do licenciamento de ônibus, os dados são apurados a partir do Renavam. Eles são repassados para as entidades que representam o setor, como a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Segundo a Anfavea, em janeiro deste ano, foram emplacados 848 ônibus, 68,3% a mais quando comparado com o mesmo período de 2017. A líder foi a Mercedes-Benz, com 498 chassis, 200% a mais do que no ano passado, quando foram licenciadas 166 unidades.

A segunda coloca é a MAN Latin America, com a marca Volksbus, empatada com a Agrale, com 136 unidades cada. Porém, a Agrale cresceu mais este ano (51,1%), pois ela havia emplacado 90 chassis em 2017. Já a Volksbus teve 126 unidades licenciadas no ano passado, tendo um crescimento de 7,1%.

Em terceiro lugar ficou a Scania, com 65 chassis, 106,3% a mais do que em 2017, quando havia emplacado 16 ônibus.

O quarto lugar ficou a Iveco, com 49 ônibus, um número 82,5% menor do que janeiro de 2017, quando a italiana registrou 63 unidades.

Em quinto lugar temos a Volvo, com sete emplacados em janeiro deste ano contra 34 do mesmo período de 2017, uma queda 79,4%.

Vale destacar que os emplacamentos não refletem um exatamente um período de vendas, mas sim, o ônibus finalizado, ou seja, quando a carroceria ficou pronta e o veículo pode receber o licenciamento do Detran.

 

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).