Randon em queda

50

A produção de implementos foi 50% menor

A produção de implementos foi 50% menor

A baixa confiança e o fraco desempenho econômico brasileiro impactaram diretamente o mercado automotivo e, em decorrência, a performance das Empresas Randon neste primeiro trimestre de 2015, que teve queda de 31,6% no faturamento bruto total de janeiro a março deste ano, comparando a igual período de 2014.  

A Randon S.A. Implementos e Participações encerrou o primeiro trimestre com uma receita líquida consolidada de R$ 696,8 milhões, 27,9% menos que no primeiro trimestre de 2014. A empresa obteve lucro líquido consolidado de R$ 557 mil ou 99,1% menos, se comparado ao mesmo período de 2014. A receita bruta total, incluindo as vendas entre empresas, somou R$ 994,7 milhões no primeiro trimestre de 2015 ou queda de 31,6% em relação ao mesmo período de 2014. O EBITDA consolidado atingiu R$ 51,0 milhões, no primeiro trimestre de 2015, e margem EBITDA de 7,3%, representando uma queda de 8,3 pontos percentuais, em relação ao primeiro trimestre de 2014.

Contribuíram adicionalmente para o baixo desempenho os quadros econômicos instáveis com retração dos investimentos repercutindo, negativamente, em todos os setores da economia que já convive com aumento da inflação, queda no PIB, aumento da carga tributária e das taxas de juros. Para se adequar à baixa demanda, a empresa optou por reduzir sua estrutura, aprovou paradas programadas, flexibilização de jornada entre abril a junho, mantendo ativas iniciativas de redução de custo, como é o caso do projeto de compras corporativas já apresentado ao mercado e em processo de implementação.

 “Para este ano, estamos enfrentando com coragem os novos desafios que surgem, em meio ao cenário de incertezas, sabendo que fica cada vez mais evidente que é preciso prosseguir na busca pela eficiência operacional ajustando-se à conjuntura”, disse Geraldo Santa Catharina, diretor financeiro e de relações com investidores, 

Veículos e Implementos

 A produção de veículos rebocados durante esse período foi de 7.512 unidades, 50% menor que 2014. A baixa procura por implementos rodoviários, principalmente nos segmentos mais ligados ao transporte de commodities agrícolas e construção civil, levou a empresa a reduzir sua produção, visando aumentar a oferta de produtos de estoque ao mercado e adequar a produção à demanda. Apesar das iniciativas tomadas visando minimizar os impactos gerados pela baixa demanda, tais como paradas programadas e adequação do quadro de funcionários à atual produção, o market share para o trimestre encerrou em 23,9% (1,7 percentual abaixo do apresentado em igual período ano passado) resultando em acúmulo de estoques de produtos.

Vagões Ferroviários 

 Se o atual cenário econômico não favorece o setor de transporte rodoviário, o mesmo não acontece com o segmento de vagões ferroviários que se mantém nos trilhos do crescimento. A Randon já está com carteira formada para 2015. Durante o primeiros três meses deste ano foram produzidas 404 unidades (308 unidades em 2014). O avanço nas vendas e diferenciação no mix de produtos para os próximos períodos devem aumentar a participação deste segmento nas receitas da empresa, mantendo sua importância estratégica para o desenvolvimento futuro da empresa que acredita numa maior participação deste modal na matriz de transporte brasileira.

Autopeças 

 Com a intenção de diminuir o impacto causado pela baixa produção de caminhões neste trimestre (30.406 unidades, 36,2% abaixo de 2014) as empresas de autopeças do grupo Randon buscaram, ao longo do período recorrente, diminuir seus custos e ao mesmo tempo aproveitar as oportunidades geradas pelo ambiente. Como estratégia para diminuir custos, destaca-se o plano chamado Field Force, que envolve as empresas de autopeças, na busca por diluir custos, somando forças e sinergia para expandir sua participação no mercado de reposição.

Exportações

 No trimestre, as vendas consolidadas para o mercado externo totalizaram US$ 39,7 milhões ou queda de 25,0% em relação ao mesmo trimestre de 2014. As exportações das Empresas Randon representaram 16,7% da receita líquida consolidada no primeiro trimestre, contra 13,0% no mesmo período de 2014. Nas operações instaladas no exterior a receita bruta total, sem eliminações das vendas entre as empresas nestes três primeiros meses, totalizou US$ 33,2 milhões ante os U$ 27,1 milhões dos primeiros três meses do ano passado.

Somadas, as exportações e as receitas geradas pelas unidades no exterior alcançaram no U$ 72,9 milhões no trimestre contra U$ 80,1 milhões (janeiro/março 2014).

Desemprego

A baixa confiança na economia e no governo brasileiro já gerou mais de 140 mil desempregos em todo o setor automotivo no país, considerando as montadoras de carros, veículos comerciais, implementos e seus fornecedores.