Anfir prevê retrocesso de nove anos nas vendas

36

As notícias para o segmento de implementos não são animadoras. Segundo a Anfir, entidade que representa as indústrias de implementos rodoviários, neste ano, o mercado pode retroceder ao patamar de 2007. A estimativa de emplacamentos poderá acumular perdas de até 103 mil produtos. O total é a soma da queda registrada em 2015 sobre 2014 e da provável queda de 2016 sobre 2015.

A Anfir estima que serão vendidas 56,6 mil unidades em 2016, o menor patamar já registrado na história do setor desde que as estatísticas começaram a ser compiladas pela entidade. “A indústria está em uma situação crítica de queda acentuada em seu desempenho e ociosidade crescente”, alerta Alcides Braga, presidente da Anfir.

O levantamento do primeiro trimestre de 2016 demonstra que há motivos para o pessimismo: de janeiro a março, a indústria entregou 15.640 unidades, ante 23.640 em 2015, queda de 32,46%. No segmento de reboques e semirreboques foram emplacados 6.150 unidades, contra 6.950 no primeiro trimestre do ano passado. No mercado de Carroceria sobre chassi foram entregues 9.490 produtos ante 16.206 no ano passado. “A situação está bastante complicada para as empresas que já passaram por um ano de retração forte como 2015”, afirma Mario Rinaldi, diretor executivo da entidade.

A indústria já começa a reagir negativamente. Recentemente, a Randon encerrou as atividades na planta de Guarulhos, demitindo mais de 170 funcionários. Em janeiro, a Comil já havia anunciado o encerramento das atividades na fábrica de Lorena (SP), quando mais de 200 colaboradores foram demitidos.