Caminhoneiros “ganham” área de 120 mil m² na BR-116

206

Finalmente vai sair do papel o projeto que viabiliza a implantação de pontos de paradas e descanso para caminhoneiros em cumprimento à Lei dos Caminhoneiros, aprovada em março deste ano. Demorou mas saiu. O tema é bastante antigo na pauta de reivindicações dos motoristas autônomos, que enfrentam situações bastante precárias pelo mundão de estradas Brasil afora, tanto de segurança, como higiene e alimentação. Agora, com regras definidas espera-se que esse projeto seja viabilizado também em outras rodovias – pelo menos a intenção é essa.


A notícia foi veiculada o dia 28 de outubro último pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), em parceria com a Fetransesc (Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Santa Catarina). O piloto desta iniciativa, apresentado em maquete, será instalado no km 45 da BR-116, em Santa Catarina, no trecho de ligação com Curitiba e o Rio Grande do Sul.

O percurso, de 413 quilômetros de extensão, foi concedido para iniciativa privada em nome da Autopista Planalto Sul, pelo período de 25 anos, contados a partir de 2008. Faz parte do contrato de concessão a construção e exploração da infraestrutura. O projeto está orçado em R$20 milhões. Contudo, está previsto um aumento de pedágio de R$4,10 terá aumento equivalente a 0,15 ou 0,20 centavos de reais.

A área total de 120 mil m² será dividida em seis blocos, cada qual com 21 vagas de estacionamento, que podem ser aumentadas conforme a demanda. A estrutura abrigará uma área de transbordo de carga perigosa, estacionamento, banheiros, restaurante, sala de descanso, sala de entretenimento, auditório para treinamento e palestras, consultório médico e demais facilidades. Toda a área será monitorada por câmeras, no sentido de promover a segurança em todas as dependências. Enquanto permanece no local o motorista pode usufruir dos benefícios, pagando exclusivamente o que for consumido.