Enquanto a Iveco não lança no Brasil o S-Way, atual modelo prêmio vendido na Europa para concorrer com o novo Mercedes-Actros, nova geração Scania, Volvo e DAF, a fabricante italiana faz uma importante atualização dos modelos 2021 do Hi-Way e do Hi-Road, produzidos em Sete Lagoas (MG).  A mais importante a introdução da tecnologia de conectividade e telemetria pela plataforma Iveco. Além disso, uma “cirurgia plástica” chamada pela indústria automotiva de “facelift”.

Iveco Hi-Way 2021
Iveco Hi-Way 2021

Praticamente todos médios e grandes frotistas já contratam serviços de conectividade e telemetria de terceiros — mesmo o caminhão vindo de fábrica com tal tecnologia, empresas como Braspress, Jamef, JadLog, Tora Transportes, entre muitas outras, preferem ter o própria sistema e a redundância de sistemas por causa do alto nível de risco de roubo de carga no Brasil.

 As marcas MAN, Mercedes-Benz, Volvo e Scania já ofereciam sistemas similares de fábrica. Faltava só Iveco e DAF. Agora, só DAF.

Conectividade

Iveco esperando
Iveco Hi-Way 2021

Como em todos os caminhões com conectividade, o Iveco Connect liga o caminhão via comunicação sem fio, por meio da instalação de um hardware instalado na linha de produção, a uma sala de controle que foi construída dentro da fábrica de Sete Lagoas. Por falta de infraestrutura de telecomunicação nas estradas brasileiras, as informações entre o veículo e a central ocorre somente quando há sinal de celular.

São muitos dados capturados, como temperatura do motor, aceleração, velocidade, pressão da turbina, consumo, comportamento em curva, trancos, códigos de falha etc., tudo que permitem o frotista analisar o estado do caminhão, além da conduta do motorista na direção, roteirização, informações do peso da carga, tempo de rodagem e parada, entre outras dezenas de dados.

Inteligência estratégica

Conforme ensinamentos da Escola de Negócios Europeia de Barcelona (ENEB) na disciplina Inteligência Estratégica, instituição que tem o mestrado de inovação entre os melhores da Europa, a falta de atualização de produtos permitem que os novos sejam mais valorizados e os velhos tenham preços achatados. Essa teoria acadêmica é, facilmente, perceptível quando se compara os preços do Iveco Hi-Way de R$ 442.802 a R$ R$ 518.607, e do Novo Mercedes-Benz Actros, de R$ 538.437 e R$ 672.000, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Leia sobre o Iveco S-Way Power

 

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).