Volvo começa a vender FH com 100% de biodiesel

118

A Volvo traz ao mercado uma nova versão do caminhão FH com a possibilidade de rodar com 100% de biodiesel. O chamado B100. Todavia, a comercialização está condicionada a uma análise da engenharia da fábrica.

Seja como for, a novidade atende aquele frotista que produz o combustível, principalmente a partir de soja. Por essa razão, para rodar com B100, os transportadores precisam solicitar aprovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Do mesmo modo, autorização para rodar com o B100. Uma vez que o combustível não está disponível comercialmente para uso em veículos no País.

LEIA TAMBÉM: Volkswagen inicia a produção de caminhões e ônibus na Argentina

Por ora, o B100 está disponível para a versão FH. Na Europa, toda gama de caminhões da marca já conta com versão adaptada para o B100.

Volvo começa a vender, sob consulta, caminhões FH com 100% de biodiesel
Volvo FH está disponível para operar com B100

Além de consulta prévia e aprovação da engenharia da Volvo, o uso do B100 é restrito aos veículos fabricados para essa especificação. “Não é possível usar Biodiesel 100% em caminhões que não tenham sido produzidos para isso. As versões regulares dos veículos estão preparadas para uso com o diesel S10 padrão disponível no País”, diz Jeseniel Valério, gerente de engenharia de vendas caminhões da Volvo.

A novidade da Volvo chega custando em média R$ 20 mil a mais em relação ao atual modelo que roda com o B14. Isso ocorre porque o veículo passa por algumas alterações no catalisador, filtros, sensores, bem como de software de controle de emissões e de injeção.

Metas

Sempre à frente no oferecimento de soluções ambientalmente corretas, a Volvo tem ambiciosas metas globais nesta área. Dessa forma, o objetivo é reduzir em 50% as emissões de CO2 nos veículos ofertados pela marca até 2030 e em 100% até 2040.

As novas tecnologias em motores a combustão, movidos a combustíveis cada vez mais renováveis, são importantes recursos para cumprir essa estratégia. Outros dois grandes pilares são os veículos elétricos a bateria (BEV), já disponíveis em vários mercados, incluindo o Brasil (aqui em fase experimental), além dos elétricos impulsionados por célula de combustível (Fuel Cell), já rodando em testes em rodovias da Europa.