As primeiras seis unidades dos caminhões BYD 100% elétricos já chegaram ao Brasil. Esse primeiro lote, vindo da cidade de Changsha, na China, faz parte de uma compra de 200 unidades pela Corpus Saneamento e Obras para serem utilizados no serviço de coleta e transporte de resíduos.

Os caminhões denominados eT8a não emitem gases de escapamento ou qualquer fumaça na atmosfera. De manutenção simplificada, segundo a fabricante, se destacam também pela baixa emissão de ruído – adequado às operações urbanas como onde vão operar, na coleta de resíduos.

Esses caminhões usam como fonte de energia uma bateria especialmente desenvolvida para eletrificação veicular, com tecnologia exclusiva de fosfato de ferro lítio (reciclável e com vida útil de até 30 anos).

São veículos com PBT técnico de 21 t na versão configurada 4×2 e autonomia estimada de 8 horas de operação por recarga, o que equivale a cerca de 200 km.

“Antes de entrar em operação, os novos caminhões passarão por uma revisão de entrega e receberão o compactador de resíduos com sistema eletro hidráulico desenvolvido em parceria com a Danfoss. Esse sistema substitui as tradicionais alavancas e garante maior eficiência energética e redução do nível de ruído no funcionamento do equipamento”, explica Charles Fioravante, gerente de manutenção de frota da Corpus.

Esse sistema trará mais conforto aos profissionais que vão operar o veículo, por substituir o esforço natural para a movimentação das alavancas por uma simples pressão no botão de acionamento, com redução do nível de ruídos e vibrações do sistema e do consumo de energia elétrica.

Os caminhões BYD contam também com o sistema “one pedal drive” e KERS de recuperação de energia elétrica pela energia cinética obtida no uso dos freios. Sem o pedal de embreagem e com transmissão de quatro marchas, o sistema permite ao motorista conduzir o veículo utilizando apenas o acelerador. Nas frequentes reduções de velocidade para a coleta de resíduos, o freio motor provocado nas desacelerações contribui para o acúmulo de energia do conjunto de baterias, ampliando a autonomia do veículo. De acordo com a Corpus o uso do “one pedal drive” pode ser feito em 90% do percurso.

Para facilitar as partidas nas mais íngremes rampas, possui torque máximo de 153 mkgf a partir de zero rpm, o que, segundo a diretoria da BYD é o maior da categoria.

“Com a emissão zero, deixamos de emitir aproximadamente 14 toneladas de CO2/mês/veículo (Combustão de 1 litro de diesel produz aproximadamente 4 quilos de CO2, o consumo de um caminhão é de aproximadamente 10 l/h, o mesmo trabalha aproximadamente 360 h/mês), que é o maior responsável pelo efeito estufa. Passamos a gerar maior conforto aos colaboradores e à comunidade, pela melhor dirigibilidade, segurança e baixo nível de ruídos (menor estresse). O desempenho é bem superior em todas as condições de operação, chegando a ser sete vezes mais eficiente”, enfatiza Fioravante.

 

 

 

Compartilhar
Andrea Ramos
Jornalista especializada em veículos comerciais, apaixonada por caminhões e punk rock, e mãe do B e do Ben.