China repensa o mercado

280


A queda nas vendas de caminhões novos vem impactando de maneira significativa o mercado. De acordo com o portal O Globo, as fabricantes chinesas já começaram a repensar os planos de instalar uma fábrica no Brasil. Há no momento projetos que estão sendo adiados, outros foram cancelados.

Ainda segundo a publicação, a Dongfeng que pretendia se instalar em Pouso Alegre, Minas Gerais, com recursos de cerca de R$ 1 bilhão, anunciou que não virá mais. A JAC planejava fabricar caminhões urbanos em complemento à produção de automóveis, e adiou os planos de investir R$ 100 milhões na Bahia. Não há previsão de retorno. 


A Shacman, com sede em Tatuí, no estado de São Paulo, ainda não iniciou operações. Já filiada à Anfavea, a fabricante não está mais homologada no programa. Segundo O Globo apurou, a homologação junto ao Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) é válida por 24 meses, com o compromisso de a empresa cumprir o cronograma do projeto, o que não ocorreu. A renovação está em análise pelo governo. A montadora faria investimento de R$ 400 milhões. Por fim, a reportagem informa que a Foton estaria próxima de comprar a linha de montagem da Navistar.

Conforme a TRANSPORTE MUNDIAL apurou, a Foton não confirma a informação do portal. Segundo a assessoria da fabricante, as obras da fábrica seguem, além disso, a marca está trabalhando em alternativas para antecipar o início da produção do caminhão nacional de 10 t de PBT para 2016. Por outro lado, a assessoria da Sinotruk diz que os planos de fábrica estão mantidos, e que a marca está trabalhando para viabilizar os investimentos demandados para iniciar as obras da planta em Lages/SC. Não conseguimos obter contato com as outras fabricantes citadas.