Especial 15 anos: TM debate o futuro do setor

197

Continuando o Especial TRANSPORTE MUNDIAL, resolvemos olhar para os próximos 15 anos. Enviamos para vários profissionais do setor de transporte (indústria, transportadores e entidades) perguntas para saber qual a visão deles sobre o futuro do setor de transporte rodoviário de cargas. As respostas, muito interessantes, recebidas até o fechamento da edição 150, você confere agora.  

MERCEDES-BENZ
Marcos Andrade, gerente de marketing de caminhões da Mercedes-Benz do Brasil, acredita que nos próximos 15 anos o transporte rodoviário de cargas continuará sendo o modal dominante no país, apesar de perder espaço para hidrovias e ferrovias. “As estradas tenderão a ter melhor qualidade de pavimento e sinalização, havendo um pequeno incremento da proporção de estradas pavimentadas em relação ao total. Este percentual, porém, não deve passar de 20%”, prevê.
 

O transporte rodoviário trabalhará muito mais integrado com outros modais, crescendo a importância dos centros de transferência intermodais. “A conectividade do caminhão e a rastreabilidade, tanto da carga quanto do caminhão, serão parte fundamental do transporte rodoviário e contribuirão para o incremento da eficiência do transporte e a redução das viagens com caminhão vazio ou com pouca carga. A conectividade do caminhão permitirá diagnósticos remotos, permitindo planejamento de paradas para manutenção, reduzindo o tempo do caminhão dentro da oficina”.

Para que esses pontos sejam concretizados, é preciso de investimentos em infraestrutura de transporte acima de 1% do PIB. “Investimento em infraestrutura de comunicação (telefonia móvel), reduzindo as regiões de sombra, além de aumento da segurança nas estradas, reduzindo o roubo de carga”. 

Quanto ao papel da revista TRANSPORTE MUNDIAL, Andrade diz que a publicação se destaca pela qualidade e pela especialização nas informações ao caminhoneiro, o verdadeiro rei das estradas. “Todas as edições publicadas mensalmente já contribuem para o desenvolvimento do transporte rodoviário de carga, tratando com a devida relevância assuntos de produtos, tecnologias, soluções em logística, entre outros. A TRANSPORTE MUNDIAL tem profissionais altamente conceituados que a tornam uma das principais publicações do setor no Brasil. Parabéns por esses 15 anos de estrada!.”

FORD
Flavio Costa, gerente de vendas e marketing da Ford Caminhões, diz que é difícil fazer uma previsão para um período tão distante. “Estamos sujeitos a influências de diferentes fatores que não podemos prever com tanta antecedência. Mas, levando em consideração o recente movimento do governo com relação ao anúncio de investimento de R$ 198,4 bilhões para o Programa de Investimento em Logística, é possível prever que nos próximos 15 anos voltaremos a ter rodovias em bom estado e modernizadas, não apenas para benefício dos caminhões, mas principalmente dos motoristas do Brasil. No que se refere à Ford Caminhões, continuaremos investindo em nossos produtos ,buscando sempre conforto e economia, tanto para os frotistas como para os autônomos, contribuindo assim para com o transporte rodoviário brasileiro.”


Conforme mencionado, são necessários investimentos tanto por parte do governo, como do setor privado. Dessa forma, a evolução do transporte rodoviário será uma consequência natural no decorrer dos anos. “Nós da Ford Caminhões continuamos a investir em produtos atuais, que entregam aos consumidores qualidade, robustez, ótimo desempenho e baixos índices de consumo. Exemplo disso é que em breve lançaremos uma nova tecnologia que vai abranger a nossa linha de caminhões e oferecer versatilidade, desempenho e melhor valor de compra aos nossos clientes”, antecipa.

Para Costa, a TRANSPORTE MUNDIAL tem um papel muito importante para a indústria de caminhões e já se tornou uma referência neste mercado, pois se trata de uma publicação tradicional, com compromisso em transmitir informações relevantes, com transparência e seriedade para os seus leitores, incluindo consumidores, entusiastas, formadores de opinião e representantes da própria indústria.” Contamos com a TRANSPORTE MUNDIAL nos próximos anos, acompanhando a evolução do mercado e informando a todos as tendências.”

IVECO
“O que enxergamos para os próximos 15 anos são o desenvolvimento e a implantação de componentes que monitorem com precisão as condições operacionais do veículo. Esses instrumentos, somados a novos recursos tecnológicos embarcados nos caminhões, serão fundamentais para otimizar a operação em diversos segmentos do transporte de cargas”,  depõe Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina.

Atualmente os motoristas de caminhão e os transportadores já contam com veículos que proporcionam alta tecnologia e conforto no transporte de cargas. “Nosso extrapesado premium, o Hi-Way, é um bom exemplo disso. Ele foi projetado para percorrer longas distâncias, oferecendo economia na manutenção, na operação e no consumo de combustível.” Com equipamentos de última geração, o caminhão garante uma direção segura, confortável e econômica. O motorista se “sente em casa” e no “seu escritório”, dirigindo o caminhão. Além disso, a necessidade de reduzir os custos operacionais já faz com que os clientes avaliem melhor o custo total da operação.

Para ele, o próprio mercado vai se adaptar para que isso aconteça. É fundamental também que as condições econômicas do país melhorem para que surja um cenário propício para a modernização do setor, como a renovação da frota dos veículos que rodam pelo Brasil.

“Durante os últimos 15 anos, a revista TRANSPORTE MUNDIAL se manteve na estrada, proporcionando aos leitores informação de qualidade, com credibilidade e alto nível editorial. Motoristas de caminhão, empresários do setor de transporte e apaixonados pelo assunto podem contar com uma publicação que mantém seus princípios de informar e de ser um verdadeiro guia para esse público. Na nossa visão, a contribuição como mídia impressa e digital sempre foi, e continuará sendo, fundamental para o desenvolvimento do setor de transportes”.

FOTON
Em sua previsão sobre como será o transporte rodoviário de carga nos próximos 15 anos, Bernardo Hamacek, CEO da Foton Caminhões, diz que, com toda a certeza, os caminhões continuarão a protagonizar o transporte de carga em médio e longo prazos. “A tendência clara é a de que cada vez mais teremos veículos com alta tecnologia embarcada e mais amigáveis ao meio ambiente”.


Segundo ele, nos próximos 15 anos o que mais vamos observar, tanto no Brasil como no mundo, é a conectividade entre veículos comerciais, embarcadores e transportadores. E as muitas fabricantes já estão há algum tempo se preparando para essa nova onda tecnológica onde será possível fazer toda gestão logística valendo-se das inovações digitais. E isso vai permitir mais eficiência, sobretudo uma operação mais ecológica. “A Foton investe maciçamente em inovação e nossa empresa está completamente preparada para os novos desafios tecnológicos da próxima década”, garante.

Nesse contexto, é uma evolução natural. “Este objetivo vai ser alcançado de qualquer maneira nos próximos 15 anos. Mas vai ficar de fora quem não estiver plenamente preparado. O transportador terá que se preparar e as fabricantes, idem.” É preciso investir continuamente para acompanhar o ritmo acelerado desta evolução digital. “Nós, da Foton, temos esta consciência e posso assegurar que nossa marca está totalmente preparada para atender as novas demandas”.

“A TRANSPORTE MUNDIAL certamente é uma mídia de grande importância e protagonismo neste setor. Tanto nas plataformas digital como impressa, é uma mídia que oferece conteúdo altamente qualificado e que serve de embasamento para ações importantes e estratégicas, tanto para as fabricantes quanto para os transportadores”, declara Hamacek. 

Não perca a última parte do Especial 15 anos da TRANSPORTE MUNDIAL.