Ford testa E-Transit movida a células de hidrogênio

    203

    A Ford testa no Reino Unidoa E-Transit movida a célula de combustível de hidrogênio. Essa tecnologia é uma alternativa à bateria elétrica convencional e também ao motor  diesel convencional. A tecnologia combina hidrogênio com oxigênio é vista como uma das principais soluções principalmentepara mover veículos pesados que percorrem longas distâncias.

    De acordo com a Ford, são oito E-Transit movidas a celúlas de hidrogênio que irão  rodar em testes até 2025. O objetivo é levantar informações como o custo total de propriedade e custo de operação, bem como comparar o tempo de atividade do veículo com essa solução em relação ao modelo convencional a diesel.

    A iniciativa da Ford avaliará também a infraestrutura necessária para o reabastecimento de hidrogênio e a reciclagem de componentes do veículo ao término de sua vida útil. A Ford informou ainda que todos os oito protótipos são equipados com células de combustível de alta potência e tanques de hidrogênio otimizados com foco na segurança, capacidade e peso.

    Testes irão até 2025. Objetivo da Ford, entre outros, é comparar vários parâmetros com a versão tradicional movida a diesel

    Além de operadores de frotas, o projeto conta om parceria de outras empresas com tecnologia automotiva. A Ford informou que o sistema visa o aumento da autonomia e um carregamento mais rápido do que as baterias sólidas conectadas à rede elétrica.

    A empresa destaca que transportadores que percorrem longas distâncias e utilizam equipamentos auxiliares (como refrigeração, por exemplo) e encontram dificuldades para recarregar a bateria durante o percurso, poderão ser beneficiados.

    PESQUISA

    A Ford apresentou o primeiro protótipo da E-Transit com célula de combustível em 2021, porém, a empresa pesquisa essa tecnologia desde a década de 1990. Desde então, a empresa vem desenvolvendo protótipos e realizando testes em parceria com frotistas e está envolvida em vários outros projetos que buscam o aprimoramento dessa solução na Europa.

    A tecnologia da célula de combustível de hidrogênio vem sendo testada em várias partes do mundo pelas grandes fabricantes de caminhões de caminhões pesados. A previsão para início da comercialização de veículos com essa tecnologia é paralogo depois de 2025.

    Modelos pesados da Mercedes-Benz, Volvo, Nikola (parceira da Iveco no projeto), entre outras já têm veículos pesados rodando em testes na europa. Todos ops fabricantes falam em uma autonomia de até mais de 1.000 quilômetros com um único abastecimento e a  única emissão do veículo é água.

    No IAA Transportation realizada em setembro passado em Hannover/Alemanha, a Iveco apresentou além do Nikola um Daily chassi-cabine movido a célula de combustível, fruto de parceria com a Hyundai. Com seis tanques de hidrogênio, a autonomia divulgada para o veículo é de 700 quilômetros contra 300 quilômetros da versão com bateria elétrica.