Substituto da linha Atron vocacional, o Atego 2730 6×2 reúne os atributos do trem de força do antecessor Atron 2729 e a cabine confortável nos moldes dos pesados Axor rodoviários.

A usina, com intuito de preservar o caminhão, também colocou protetor na parte frontal do veículo

A maior prova que essa combinação deu certo é que caminhão tem ganhado cada vez mais adeptos. Foram 560 unidades vendidas nos primeiros 10 meses deste ano – um aumento de 218,18% em relação a 2016. 15,3% das vendas de caminhões Atego são do modelo 2730.

O painel do 2730 é curvado

Sua versatilidade está no fato de a versão com distância de entre-eixos de 3.600 mm ser adequada tanto nas operações basculante (K) com tomada-de-força no câmbio, como na betoneira (B), cuja tomada-de-força é no motor.

 

Mas na versão plataforma (P), o caminhão, cuja distância de entre-eixo é de 4.800 mm, tem ganhado clientes do agronegócio. Porém, sua pluralidade nessa condição permite que ele atenda operações com tanque, veículo para manutenção de frota, bomba de concreto e caminhão de combate a incêndio. Nesta composição, avaliamos esse semipesado 6×4.

Os itens do tanque são acionados de dentro da cabine

O teste realizado na operação do Grupo São Martinho, Usina Iracema, em Iracemápolis, interior de São Paulo, possibilitou que rodássemos na maior parte do trecho por terreno off-road, onde a cana é plantada. O 2730 junto com outros seis caminhões atuam pelos 30 mil hectares de terras próprios da Usina e mais 10 mil hectares pertencentes a outros produtores rurais, mas que são administrados pelo Grupo São Martinho. Juntas, essas terras têm capacidade aproximada de 3 milhões de toneladas de moagem.

Modelo que possui versões basculante, betoneira e plataforma é dedicado às operações mais severas por isso seu chassi é reforçado

O percurso também passou por estradas asfaltadas – da usina até a plantação – onde foi possível conferir a estabilidade do veículo e compará-la nos dois terrenos. Nos dois modos, chama a atenção o correto acerto da suspensão. A suavidade ao trafegar no asfalto não foi interrompida por sacolejos nem quando o caminhão chegou ao terreno fora de estrada.

A resposta para essa boa calibração está na suspensão traseira tandem boogie, permitindo que os eixos se acomodem mesmo em situações extremas, como ondulações e desníveis da estrada. Além disso, ela possui bloqueio de diferencial longitudinal igualando os eixos traseiros e bloqueio transversal – este, recém-lançado – para igualar as rodas em casos de o caminhão trafegar por ruas desniveladas.

Esse sistema se harmoniza com o eixo dianteiro de molas parabólicas, o que se traduz em mais conforto para o motorista do que o eixo com molas semielípticas utilizado no Ford Cargo 2629 e no Volkswagen Constellation 26.280.

Motorista e ajudante recebem treinamento anual de combate a incêndio

A desenvoltura desse caminhão 6×4 também se deve ao motor, cujo torque é o seu maior predicado. Produzido pela Mercedes-Benz com o nome 926 LA, esse propulsor de 7,2 litros e 6 cilindros em linha desenvolve 286 cv a 2.200 rpm de potência e 114 mkgf de 1.200 a 1.600 rpm de torque – este, aliado a caixa G 181, de 9 velocidades, ajuda o caminhão a ter força para vencer situações de extrema severidade, já que a transmissão manual possui a primeira marcha bem reduzida: de 20,13:1 crawler.

Em um dado momento, a impressão que se teve ao entrar com o caminhão em um trecho estreito e cheio de desníveis é que o Atego saiu da situação com a força de um trator, mas com uma leveza que impressionaria qualquer jipeiro.

Esse semipesado com PBT de 23 t homologado e 26,6 t técnico com redutor nos cubos de roda conta com relação de 43:10 que, combinada ao pneu 10,00R20PR16, faz com que o caminhão rode solto tanto na estrada como na terra.

Ficha Técnica

Como o período da safra acabou, nessa reportagem nós simulamos o mesmo trajeto que o Atego 2730 avaliado percorre durante a época de colheita. Quando está tudo bem, logo ao entrar no trecho off-road, o caminhão roda inicialmente a uma velocidade de 20 km/h. Nesse momento, em 4ª marcha, a rotação oscila entre 1.450 e 1.500 rpm.

Conclusão

O Atego 2730 6×4 é uma evolução do Atron, porém, mais moderna e melhor acabada. Tanto que seu interior tem um excelente espaço interno, se tratando de um caminhão semipesado. Contudo, é o seu arranjo técnico motor, caixa e suspensão que faz a diferença.

Os bancos têm desenho esportivo e o do passageiro é rebatível

É um caminhão que suporta mesmo às mazelas causadas nos ambientes fora de estrada. Às empresas que trabalhamtno setor de construção vale a pena conhecer o produto. Na versão mais completa é uma excelente escolha para o condutor.

Todos os detalhes do nosso teste a bordo do Mercedes-Benz Atego 2730 você confere na edição 168 da revista TRANSPORTE MUNDIAL.  

Compartilhar
Andrea Ramos
Jornalista especializada em veículos comerciais, apaixonada por caminhões e punk rock, e mãe do B e do Ben.