Os gastos com combustíveis são os maiores na hora de fazer um frete, e o caminhoneiro que não conseguir repassar isso para o cliente já sabe que a conta não fecha no final do mês. Por isso acompanhar os índices de aumento é muito importante e principalmente estar bem informado para argumentar na hora de negociar o frete é fundamental.


No Brasil, uma das empresas que faz o gerenciamento dos preços é a Ticket Car, por meio do IPTC (Índice de Preços Ticket Car). Segundo o índice apontou, em novembro, o diesel teve alta de 1,88% em relação a outubro, passando de R$ 2,89 para R$ 2,95, em média.

Assim como em outubro, os custos por litro mais elevados do mês foram registrados na BR 163, nos trechos do Mato Grosso (R$ 3,33), Pará (R$ 3,29) e Mato Grosso do Sul (R$ 3,038). A BR 316 também apresentou valores consideráveis nos preços, com destaque para o Piauí (R$ 3,13) e Pará (R$ 3,15). A maior alta no custo do Diesel em relação a outubro foi apresentada na Rodovia dos Bandeirantes, com variação de 3,61% (de R$ 2,82 para R$ 2,92).

Na BR101, o índice de preço do Diesel teve alta de 2,32% em comparação com o mês de outubro. Os estados com maiores preços do Diesel foram São Paulo (R$ 3,14), Rio de Janeiro (R$ 2,98), Pernambuco, Rio Grande do Norte e Bahia (R$ 2,97).