Implemento rodoviário

123

O balanço do desempenho da indústria de implementos rodoviários no primeiro semestre deste ano mostra um retrocesso de 10 anos. Os números e avaliação foram apresentados nesta terça-feira (14 de julho) pelo presidente da Anfir (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários), Alcides Braga. A queda nesse período foi de 40,36%, com o emplacamento de 45.894 unidades contra 76.947 do mesmo período do ano passado. Como consequência, foram perdidos cerca de 20.100 empregos nesse setor, que empregava 71 100 trabalhadores em 2014 e hoje emprega cerca de 50 mil pessoas, sendo que ainda há mão de obra excedente. A capacidade instalada tem capacidade para produzir até 215 mil implementos por ano.

 

O segmento que sofreu maior retração foi o de pesados (reboques e semirreboques), com queda de 48,74%. O de leves (implementos sobre chassi), a baixa foi 35,39%. O retrocesso foi sentido em todos os segmentos da economia que compram implementos, com exceção de tora, porém, pouco representativa no total, com apenas 731 unidades comercializadas.

“O resultado reflete a situação de desaquecimento geral da economia e esperamos que sejam tomadas medidas para reanimar o mercado”, afirma Alcides Braga. 

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).