Marcopolo anuncia R$ 50 milhões em fábrica de elétricos no Brasil

195

A Marcopolo fará investimentos na fábrica de São Mateus, no Espírito Santo. A intenção é a partir do final de 2024 concentrar toda a produção de ônibus elétrico Attivi no local.

Dessa forma, a fabricante vai investir R$ 50 milhões. Os valores contemplam ferramental, ampliação da capacidade produtiva, assim como novas contratações. Nesse sentido, hoje a empresa emprega 2 mil funcionários na região. A partir do ano que vem serão mais 200 contratações.

LEIA TAMBÉM: Vendas de caminhões caem no Brasil

Vale lembrar que a planta capixaba já produzir veículos urbanos e micro-ônibus. E como a eletrificação no País começa por ônibus urbano, a Marcopolo, como estratégia decidiu concentrar as operações na região. Além disso, o estado também é estratégico do ponto de vista logístico, por causa do porto. Assim, a intenção também é exportar os veículos a partir da fábrica.

Seja como for, atualmente a fábrica da Marcopolo produz 19 ônibus por dia. Com a produção dos elétricos o número sobe para 26 unidade.

Mercado para o Attivi

Marcopolo anuncia R$ 50 milhões de investimentos em fábrica de elétrico no Brasil
A linha Attivi de ônibus elétrico da Marcopolo poderá ganhar versões micro e articuladas no futuro

O Marcopolo vai produzir o Attivi Integral ou só o chassi. O modelo 100% elétrico tem capacidade para 80 passageiros, autonomia de até 280 km, bem como tempo de recarga de até 4 horas.

Vale lembrar que atualmente a produção do modelo ocorre em Caxias do Sul, RS. E, conforme o CEO da Marcopolo, André Armaganijan, o ano deve encerrar com a produção de 130 unidades.

Para 2024, Armaganijan acredita no primeiro semestre bastante aquecido para os ônibus elétrico. Sobretudo, em razão das demandas das grandes capitais por veículos elétricos.

Além disso, por ser um ano de eleições municipais, é natural que a produção seja mais intensificada. Por essa razão, os ônibus elétricos também vão pegar carona nessa retomada do mercado.

Dessa forma, a Marcopolo vai concentrar a produção do Attivi em Caxias do Sul, pelo menos até que a fábrica de São Mateus esteja pronta.