O uso das informações sobre como o caminhão é utilizado para se calcular o preço e os intervalos da manutenção preventiva faz parte dos Serviços Conectados Scania e dos planos de manutenção flexíveis lançados em 2017 pela marca e ainda inéditos no Brasil. A promessa da fabricante é a redução das despesas com manutenção em torno de 16% e o aumento da disponibilidade (redução do tempo do veículo parado) em 20%, variando conforme o tipo de operação do transportador.

Felipe Cordenonsi, gerente de operações da transportadora tem acesso aos dados da frota em tempo real.

Para saber o resultado na vida real, o melhor é conhecer uma transportadora que já utiliza os serviços e já tenha conseguido mensurar alguns resultados. Fomos até Xaxim (SC) conhecer a Cordenonsi Gestão de Cargas. A empresa, que faz transporte nacional e, principalmente, internacional de carga frigorífica e seca, conta com 230 cavalos mecânicos, sendo 90 da marca Scania. Desses, 40 unidades foram compradas recentemente. Os demais cavalos mecânicos são das marcas Volvo e Mercedes-Benz.

A Cordenonsi, que sempre primou pela manutenção preventiva, fez uma experiência com os Serviços Conectados e planos de manutenção flexíveis da Scania, inicialmente, com 10 caminhões da marca. Satisfeita após resultados apurados, a empresa hoje conta 48 unidades conectadas — as 40 novas e oito de seminovos da frota.

Gestão compartilhada

O que diferencia o plano de manutenção flexível do convencional é a constante troca de informações sobre a operação entre o caminhão e os servidores da Scania. A gestão de manutenção é feita de forma compartilhada com a concessionária da região, no caso, a Carvese, de Chapecó (SC).

Por meio dos Serviços Conectados, a Scania sabe quantos quilômetros o caminhão rodou em um mês e qual foi o consumo médio (levando em consideração médias esperadas para a operação), o que indica o modo de condução do motorista e qual esforço que o veículo foi submetido. Por meio desses dados, é calculado o preço por quilômetro rodado. O contrato é feito para cada veículo.

O transportador pagará apenas pelo quilômetro rodado e, se o caminhão consumiu menos do que se esperava, significa que ele também teve menos desgaste do que o esperado. Assim, o cliente paga menos por quilômetro. Também vale o contrário, se o consumo for maior do que a média esperada.

A gestão compartilha inclui mecânicos da concessionária Cavese trabalhando dentro da garagem da Cordenonsi

Intervalo de manutenção ampliado

Os mesmos são levados para calcular o intervalo da manutenção preventiva. Se, por exemplo, no plano de manutenção convencional seria a cada 30 mil quilômetros, na flexível pode ser 40 mil quilômetros ou mais caso o veículo não seja submetido a muitos esforços no período.

Para melhorar o desempenho, baixar consumo e reduzir os custos de manutenção, a Scania também lançou Driver Services. Trata-se de uma assessoria de treinamento de motoristas (Driver Coaching) que faz o acompanhamento de cada condutor.

Segundo Felipe Cordenonsi, gerente de operações da transportadora, a expectativa com os Serviços Conectados e o Driver Services é reduzir os gastos (combustível e manutenção) da frota em até R$ 813 mil por ano.

Na edição 176 da TRANSPORTE MUNDIAL, vamos apresentar mais detalhes de tudo que a Cordenonsi tem feito em sua gestão para ser uma transportadora de sucesso, o que inclui a utilização de tecnologias de conectividade, e como tudo isso vai ajudar o plano estratégico de crescer 15% ao ano até 2023. A TRANSPORTE MUNDIAL pode ser encontrada nas bancas de jornais e revistas de todo o Brasil e na banca virtual do UOL.

Campanha Serviços Conectados

A Scania já conta com mais de 10 mil caminhões conectados (desde janeiro de 2017) e 1.600 contratos do plano flexível (desde outubro de 2017). Agora ela faz uma campanha para aumentar o número de clientes com validade até 31 de dezembro desde ano.

Até então, apenas os caminhões fabricados a partir de maio de 2016 contavam com o módulo para envio dos dados operacionais via conexão móvel. Agora, a fabricante oferece a instalação do módulo e a oferta dos Serviços Conectados para modelos fabricados desde janeiro de 2012 (Euro 5).  

Ela oferece três tipos de combos: flexível (como o adotado pela Cordenonsi), standard e compacto. Para ter a instalação do módulo, o cliente precisa adquirir um Programa de Manutenção Scania (PMS). Com a adesão, ele vai ganhar por 18 meses o pacote Desempenho. Por este pacote, o módulo envia todos os dados de desempenho do veículo via rede de celular para o serviço de nuvem da Scania. O cliente pode acessar os dados pelo computador da empresa ou pelo celular para análise de consumo, uso de freios, rotação das trocas marchas, marcha lenta etc. Os dados são atualizados de hora em hora, caso exista sinal de celular na estrada, o que ainda é ainda é um problema no Brasil. Caso não tenha sinal, o módulo do Scania arquiva os dados e os enviam na primeira conexão que conseguir.

Análises grátis

No plano flexível, o cliente fica isento da taxa de adesão caso tenha o histórico de manutenções na rede Scania. Caso tenha feito a manutenção fora da rede, o transportador pagará uma revisão completa de entrada. O plano standard abrange as revisões previstas, troca de óleo, filtros em geral e lubrificações. Já o compacto, inclui troca de óleo, filtro e graxas com mão de obra inclusa. Nos planos standard e compacto, o cliente paga uma parcela fixa mensal. No flexível, paga apenas pelos quilômetros rodados.

Os pacotes standard e compacto incluem os Serviços Conectados Análise, grátis por 10 anos, porém, limitado a um relatório semanal sobre o desempenho do veículo.  

Fabio Souza, diretor de Serviços da Scania no Brasil

“Nossa campanha convida os clientes que ainda não possuem frotas conectadas a embarcar conosco nesta nova jornada para a sustentabilidade do negócio, que será crucial para manter a rentabilidade de quem trabalha ou pretende continuar a atuar no setor nos próximos anos”, diz Fabio Souza, diretor de Serviços da Scania no Brasil. “Temos quase 10 mil veículos conectados e reduzindo vários tipos de custos. Por isso, queremos ser parceiros dos clientes para atualizar suas frotas. Faremos nossa parte, diz Fabio Souza, diretor de Serviços da Scania no Brasil.

De acordo com Souza, os caminhões Scania de 2012 a abril de 2016 podem ser facilmente conectados. “A maioria dos proprietários não sabe e por isto temos um potencial de 50 mil produtos para serem atualizados. Em resumo, o veículo mais antigo terá a mesma tecnologia disponível que o zero quilômetro.”

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).