Diesel caro, frete alto

60

Preços em alta

Preços em alta

A primeira semana de fevereiro começou com uma alta substancial nos preços do diesel e da gasolina, em função da alta da tributação sobre os combustíveis. Com o aumento das alíquotas de PIS e Confins e a reintrodução, em maio, da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), os custos das empresas de logística serão afetados pela situação.

Segundo Gilberto Cantú, presidente do Setcepar (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas no Estado do Paraná), o aumento nos preços do diesel eleva as taxas de frete, visto que o combustível representa cerca de 40% dos custos do transporte rodoviário. “É um valor expressivo. As empresas devem repassar este aumento ao cliente para cobrir os gastos e manter o funcionamento do serviço”, afirma.

As transportadoras dependem ainda de outros insumos que também devem encarecer em 2015. A alta da energia elétrica, por exemplo, pode chegar a 40% neste ano. “É um momento crítico. O crescimento destes valores encarece o transporte, o que acaba, infelizmente, sendo repassado para todo o sistema logístico e ao consumidor final”, comenta Cantú.

De acordo com Cantú, a elevação das taxas é questionável. “Somos grandes produtores de petróleo, porém o preço cobrado pelo barril em nosso país é o mais alto no mundo todo. Não estamos acompanhando o valor de mercado”, declara.