Produção de caminhão cai no acumulado, mas cresce 42,6% em agosto

219

A produção de caminhão entre janeiro e agosto registrou 63,5 mil unidades. Ou seja, retração de 37,5% quando se compara com o mesmo período em 2022, ano em que os fabricantes produziram 101,7 mil veículos. A informação foi divulgada pela Anfavea, entidade que representa os fabricantes automotores.

Por outro lado, o mês de agosto mostrou recuperação. Isso porque no mês passado a indústria apresentou crescimento de 42,6% comparado ao mês de julho. Ou seja, com 9,6 mil caminhões produzidos. Enquanto que em julho as montadoras fabricaram 6,7 mil veículos.

LEIA TAMBÉM: Roubo de cargas cai 17,7% em São Paulo

Contudo, quando se compara com o mesmo período do ano passado, o mês de agosto mostra retração de 44,1%. Em outras palavras, em agosto de 2022 os fabricantes fizeram 17,2 mil caminhões.

Seja como for, a queda ocorre por algumas razões. Desde janeiro, o Brasil virou a chave para as tecnologias de emissões Euro 6. Com isso, houve o aumento no preço dos veículos entre 25% e 30%.

Incentivos para compra de caminhões Euro 6

Presidente da Anfavea, Márcio Lima Leite diz que os incentivos do governo para compra de veículos comerciais, MP 1175/23, trouxe resultados. Nesse sentido, segundo Leite, dos 1 bilhão reservados, sendo R$ 700 milhões para caminhões e R$ 300 milhões para a compra de ônibus, já foram usados R$ 400 milhões.

Produção de caminhão cai no acumulado
O desempenho da indústria de caminhões em agosto foi melhor em relação aos últimos meses

Contudo, o presidente da Anfavea lembra que a MP expira no próximo dia 3 de outubro. Portanto, quem não utilizar os recursos, poderá perder a oportunidade de adquirir um veículo comercial com descontos do governo.

Vale lembrar que em evento ocorrido no mês passado, o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, anunciou que o programa de renovação de frota oferece linhas de crédito. Isso por meio do Finame do BNDES.

Ônibus

Seja como for, o mercado de ônibus em agosto fechou com 2.048 unidades produzidas. Em outras palavras, houve um salto de 7,6% em relação ao mês de julho, quando os fabricantes produziram 1.903 ônibus.

Porém, quando se compara agosto deste ano com igual mês em 2022, há queda de 42,5%. Ou seja, em agosto do ano passado as marcas fabricaram 3.564 ônibus.

No acumulado deste ano, entre janeiro e agosto, foram produzidos 13.490 ônibus. Ou seja, retração de 32,6%, quando se compara com o acumulado de 2022, que registrou 20.025 unidades.