Kia Bongo K2500 já vendido como modelo 2018. Fotos: divulgação

O chassi cabine Kia Bongo K2500, apesar de ser o único veículo de carga da marca sul-coreana à venda no Brasil, o modelo sempre teve lugar de destaque no portfólio da empresa. Ele já foi o segundo da marca mais vendido, perdendo apenas para o SUV Kia Sportage.

Os veículos são transportados por navio dos portos de Montevidéu até Vitória (ES)

Motivos há de sobra para que a demanda pelos pequenos caminhões cresça nos centros urbanos, cada vez mais populosos, o que faz crescer o consumo de mercadoras. Para se ter uma ideia, no ano em que o mercado de caminhões estava aquecido, foram vendidos 4.093 Bongo nos cinco primeiros meses de 2011. No ano interior, foram 10.406 veículos.

Primeiro lote de modelos 2018 embarcados para o Brasil foi de 90 unidades

Porém, a crise econômica e política brasileira iniciada em 2014 atingiu fortemente a necessidade por transportes e, consequentemente, prejudicou a produção do Bongo e a produção foi interrompida durante o ano 2016. O motivo? Os estoques acumularam e uma medida emergencial teve que ser tomada. Para ficar no período de comparação de janeiro a maio, as vendas em 2016 caíram para 521 unidades, uma queda de 87,27%.

As estambas da cabine são feitas na Coreia do Sul e montagem na Nordex, no Uruguai

Agora, em 2017, apostando na retomada da economia, a produção do Kia Bongo foi retomada já como modelo 2018 (o que garante maior valor de revenda) e a TRANSPORTE MUNDIAL foi até a montadora Nordex para conhecer a linha de montagem do Bongo. De janeiro a maio deste ano foram emplacadas 530 unidades do momento, com tímido crescimento de 1,73%.

A Nordex investiu em novo sistema de pintura de cabine já em uso na linha 2018 do Kia Bongo

Não há expectativas que os números de vendas voltem ao de 2011, mas a empresa espera vender cerca de 2 mil unidades por ano, talvez, a partir de 2018, já que este ano a economia continua estagnada.

A linha de montagem do Bongo

A produção do Bongo é terceirizada para a Nordex desde 2010. A Nordex é uma montadora que trabalha ou trabalhou para grandes marcas, como Citroën, Renault, Peugeot, entre outras. Segundo o gerente geral, Gonzalo Zeballos, trabalhar com sul-coreanos tem sido uma experiente bastante positiva e que trouxe diversas melhorias nos processos produtivos, o que resulta em veículos de melhor qualidade. “A qualidade das pessoas que chegam também ajuda na montagem pelos funcionários da Nordex”, acrescenta.

João Pessoa, diretor de operação industrial e peças da Kia Motors do Brasil, explica que projeto do Bongo para o Mercosul já amadureceu bastante nesses últimos anos e já conta com 60% das peças (em valores) fabricadas no Brasil, Argentina e Uruguai. Nesse percentual conta também com os gastos de mão de obra. Os 40% restante dos componentes são importados da Coreia do Sul, que são praticamente o trem de força (motor e transmissões), estampados para montagem da carroceria e painel de instrumentos.

Atualmente o Kia Bongo é o veículo que teve mais unidades produzidas no Uruguai, com 21 mil veículos, seguido do Renault Express, com 20 mil e Renault Twingo, 17 mil, informa Zeballos.

Veja a ficha técnica completa do Kia Bongo K2500.

Compartilhar
Editor da revista e site Transporte Mundial desde fevereiro de 2002. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia, de Belo Horizonte (MG).