e-Volksbus ganha versão com motor elétrico de recarga ultrarrápida

99

Uma nova versão do e-Volksbus entra em testes com baterias feitas de óxido e nióbio. A novidade garante a recarga completa em apenas 10 minutos.

Configurado sobre um chassi de 18 t, o protótipo de ônibus tem autonomia estimada em 60 km. Pode parecer limitado. Porém, o veículo pode rodar por rotas, como por exemplo, corredores. E recarregar durante o embarque e desembarque de passageiros nos terminais. O chamado recarga de oportunidade.

LEIA TAMBÉM: Foton apresenta novos veículos e planos de crescimento da marca no Brasil

Outra vantagem é que essa recarga pode ser feita em pantógrafo de 300 kW. O ônibus é equipado com quatro pacotes de baterias de lítio com ânodo contendo nióbio, cada um deles com capacidade útil de até 30 kWh. Mas dependendo do tipo de operação, é possível adicionar mais dois packs de baterias.

Entre as vantagens deste sistema é que a estrutura do ânodo de NTO permite suportar a carga ultrarrápida. E possibilita uma operação em temperaturas mais amenas. O que aumenta a vida útil da bateria.

Rodrigo Chaves, vice-presidente de tecnologia da Volkswagen Caminhões e Ônibus, explica que o objetivo é demonstrar as vantagens da bateria com nióbio. Sobretudo nas operações em que é possível realizar a recarga rápida.

e-Volksbus ganha versão com motor elétrico de recarga ultrarrápida
VWCO inicia testes com e-Volksbus com baterias de nióbio

O executivo ainda lembra que a tecnologia, inédita no mundo, pode reduzir os custos com infraestrutura de recarga. Afinal, há a necessidade apenas do pantógrafo. Assim, dispensa infraestrutura nas garagens do operador.

Parcerias

Seja como for, para tornar real a tecnologia, a CBMM, Toshiba e Volkswagen Caminhões e Ônibus se uniram. A CBNN é a maior produtora de nióbio do mundo e fornecedora da tecnologia. Por sua vez, o motor elétrico é da Toshiba.

O e-Volksbus inicia os seus primeiros testes em operação real no transporte dos funcionários da CBNN, em Araxá (MG). Por essa razão, o e-Volksbus conta com carroceria Caio destinada ao fretamento. E com piso alto.

O período de testes é indeterminado. Mas no médio prazo deve expandir para uma pequena frota destinada à essa validação. Dessa forma, a Volkswagen deve validar em clientes que atuam no transporte coletivo.

Nesta fase, todos os componentes serão monitorados em tempo real para análise de seu comportamento. Assim garantir a melhoria e desenvolvimento da tecnologia. Todavia, somente após essa fase, será possível determinar os próximos passos para o lançamento do ônibus elétrico. Com relação à bateria com tecnologia NTO, a expectativa é que esteja disponível no mercado em 2025.