Híbrido ou Elétrico? Ambos

120


Começa a ser testado neste mês, no uso diário de uma operação em Gotemburgo, na Suécia, três unidades do ônibus 100% elétrico da marca Volvo. A produção em série e o início da comercialização do Volvo 7900 EI está previsto para 2020. Está solução, ecologicamente correta para o transporte urbano de passageiros, também deve ser oferecida no mercado brasileiro, mas ainda sem data determinada.

Comercialmente, a Volvo já oferece duas modalidades de tecnologia sustentáveis alternativas aos ônibus a diesel convencionais, que são os modelos híbridos (Volvo 7900 Híbrido e Volvo B215RH) e híbrido elétrico. Paralelamente, uma versão articulada do híbrido elétrico começará a ser testada ao mesmo tempo na Suécia e no Brasil, a partir de 2016, em Curitiba (PR) e Bogotá, na Colômbia. Há possibilidades dos testes serem estendidos para São Paulo, Rio de Janeiro e Santiago, no Chile.

No Brasil, apenas o híbrido é vendido no momento, mas está nos planos da empresa trazer as outras variantes para o país. O elétrico chegará para aumentar as opções de soluções para diferentes aplicações, e não para um substituir o outro, explicou o presidente da Volvo Bus Latin America, Luis Carlos Pimenta.  O modelo elétrico é mais indicado para percursos curtos e de baixa velocidade. O uso deve ser desejado em regiões que requerem baixo nível de poluição, inclusive sonora, já que a emissão de ruídos é baixíssima. Já o híbrido elétrico é para corredores e distâncias médias dentro da cidade e o híbrido pode rodar dentro da cidade e em rota intermunicipal onde há velocidades médias maiores. 

O modelo elétrico, obviamente, roda exclusivamente com eletricidade. O híbrido elétrico roda 80% no modo elétrico e 20% por meio do motor a diesel. A recarga das baterias usa tecnologia plug-in, que pode ser feita de forma rápida nos pontos de embarque e desembarque.

 Já o híbrido é movido 20% do tempo pelo motor elétrico e o restante pelo motor a diesel. A recarga de sua bateria é feita por meio da tecnologia de regeneração de energia nos momentos em que o ônibus está em frenagem. O híbrido é fabricado em Curitiba, e já conta com aproximadamente 35 unidades em circulação no Brasil e outras 350 comercializadas para a cidade de Bogotá, na Colômbia, tendo mais da metade já em operação. No mundo todo, já são mais de 2 mil híbridos rodando em 21 países desde quando o modelo começou a ser vendido, em 2010. 

Infraestrutura inclusa no pacote

O modelo híbrido elétrico foi lançado no ano passado e já está em operação em Gotemburgo, na Suécia; Hamburgo, na Alemanha; e na cidade de Luxemburgo, em Luxemburgo. O modelo elétrico híbrido também possui tecnologia plug-in e reduz o consumo de combustível e a emissão de gás carbônico em até 75% em comparação com o ônibus diesel convencional. O consumo total de energia é reduzido em 60%. Segundo o presidente mundial da Volvo Bus, Hakan Agnevall, o elétrico híbrido é oferecido às cidades com um pacote que inclui infraestrutura para recarga da bateria nos pontos de parada e serviços de pós-venda para otimizar a operação. Como no modelo híbrido, a bateria não é vendida junto com o veículo, mas cedida ao operador de transporte por um custo fixo por quilômetro rodado. 

 

Compartilhar
Marcos Villela
Jornalista técnico e repórter especial no site e na revista Transporte Mundial. Além de caminhões, é apaixonado por motocicletas e economia! Foi coordenador de comunicação na TV Globo, assessor de imprensa na então Fiat Automóveis, hoje FCA, e editor-adjunto do Caderno de Veículos do Jornal Hoje Em Dia e O Debate, ambos de Belo Horizonte (MG).